28 dezembro 2010

Epílogos


Hora de parar para contar a colheita. Momento de perceber a mais valia das experiências assimiladas e a harmonia entre os bens obtidos durante mais um período de minha vida, que logo denominarei "ano velho".

Houve época que eu media o que tinha crescido com a régua material que conta as façanhas econômicas. Depois vi a virtude na negação do ganho material, em detrimento do avanço espiritual, que ornamenta o espírito, em vez do corpo e do ego.

Só mais tarde, consegui enxergar as duas verdades com o mesmo olhar. Parecido com a visão que tenho agora, onde, num primeiro plano, funcionários da prefeitura local regam as lindas plantações de flores dos canteiros da avenida, utilizando um velho motor de combustão, mas no horizonte, no fundo da imagem, percebo gigantescos aerogeradores de energia eólica.

A segunda informação é a evolução da primeira.

É com essa visão, mais abrangente, que procuro inventariar as experiências que agreguei em 2010, que são elas, somadas as de anos anteriores, numa espécie de construção evolutiva.

Foi um ano de vitórias profissionais, que reforçaram o lado material da minha trajetória, sem diminuir o espaço do bem-vindo crescimento espiritual. Como no exemplo da imagem, a evolução harmonizou o quadro.

O período que ora se encerra, do ponto de vista da minha trajetória, é um extrato da boa simbiose, que harmoniza os interesses dos dois seres que me habitam, cuja administração não é tão simples como construir esta crônica.

Agradeço à vida, ao Deus da Luz que movimenta o elétron que constrói a existência de tudo que vejo e que percebo e do que não vejo, mas percebo, e do que ainda vou me dar conta um dia, nesta ou em outra roupagem material.

Salve o ano da graça de 2010 e todos os que o antecederam, pois minha experiência, assim como a dele, foi construída pela vivência de todos os momentos que compõe minha história.

TaVar

25 dezembro 2010

Natal


Quando eu era criança adorava a chegada do Natal, pelos presentes que certamente receberia de meus pais, parentes e amigos próximos, mas não só por isso. Lembro que sentia uma emoção diferente, invulgar, com o ritual com que minha mãe preparava a casa para, segundo ela, comemorar o nascimento do menino Jesus.

O Papai Noel era coadjuvante no natal da minha infância, tanto que não lembro de nenhum brinquedo em especial que tenha ganhado, mas jamais esquecerei o clima de expectativa, exaltação e alegria que habitavam os meus meninos dias de dezembro.

Meus filhos, por um acordo antigo com minhas ex-mulheres, passam o Natal com elas e o reveillon comigo. Por isso, quase sempre passamos a noite de 24 de dezembro junto com os familiares do marido de minha irmã, na cidade onde nasci, Santo Antônio da Patrulha, na Região Metropolitana de Porto Alegre, RS.

Este ano, por uma série de circunstâncias, tudo caminhou para que passássemos a noite de Natal apenas nós três, eu, minha mãe e meu pai. O que deveria, a princípio, apontar para uma noite desanimada, sem atração, sem alegria, surpreendeu pela presença de um conteúdo natalino exuberante, que encheu nossa noite de sentido e felicidade.

Tudo começou quando escolhi dar de presente para meus pais um momento, em vez de uma festa. Preparei a ceia, e os servi, de certa forma tentando devolver os tantos natais que minha mãe preparou na minha meninice. Nada de especial no cardápio, do ponto de vista material. O ingrediente extra foi o amor com que a ceia foi preparada, pois, além de meus pais, sabia que estaríamos acompanhados de um convidado especial: seríamos quatro, portanto!

Ele compareceu, para alegria do nosso momentum, nossa ceia da Natal. Na imagem aparecem apenas três, pois eu estava batendo a foto.

Feliz Natal Leitor!

TaVar

18 dezembro 2010

Feliz Aniversário Amiga


Sabe minha amiga querida, nas minhas meditações matinais eu sempre peço ao Teddy que me indique o tema do dia. É um costume que tenho há bastante tempo e que me indica, a partir da resposta do meu ser interior, o que eu não posso deixar de fazer naquele dia. Ocasionalmente "o tema do dia" vira post aqui no blog.
Hoje de madrugada, o anúncio do tema veio acompanhado da sugestão de enunciá-lo aqui, para que mais pessoas possam, pelo menos hoje, desfrutar da minha felicidade de escrever para ti.
Você, meu leitor, mesmo que virtualmente, precisa conhecer a minha amiga Maria Tereza - Despertando na Luz. Para mim fez muito bem conhecê-la, desfrutar de suas mensagens sincronísticas, que chegavam exatamente naqueles momentos que eu mais necessitava, para depois conhecê-la, e sua família, pessoalmente, e poder sentir de muito perto a energia maravilhosa que acompanha esse ser iluminado de Deus. Ali moram a serenidade, a compaixão, a consciência, a tolerância, a sabedoria...e a Luz!
EU SOU feliz por poder te chamar de minha amiga, por ter compartilhado momentos significativos contigo, muitas vezes sem tua presença física e com muita alegria ter tido a honra de aproximá-la de uma pessoa muito querida minha, que acabaria te conhecendo de qualquer modo, independente da minha intermediação, pois as leis do Universo não permitiriam o desencontro de tamanha afinidade, tão grande harmonia e identidade.
Neste dia 19 de dezembro, a seis dias de a humanidade parar para comemorar o nascimento do Mestre querido, que veio para deixar um registro eterno de amor, saúdo o tempo da tua chegada Maria Tereza, para iluminar os corações dos privilegiados presentes à tua passagem entre nós.
Bendito seja o dia 19 de dezembro, também!
Feliz aniversário! Um abraço fraterno e carinhoso!

Taddeu

12 dezembro 2010

Mar à vista



De volta à janela de onde enxergo o mar, afinal, lugar de marujo é nele, ou perto dele! Daqui vejo mais que o mar; vejo o que o ele construiu à sua beira: casas, ruas, praças, negócios, rotinas, carreiras, expectativas, emoções! Uma cidade, uma comunidade, uma história!

O cenário é comum, repete-se pelo planeta afora, nas comunidades formadas à beira-mar. O incomum é minha absoluta alegria por estar aqui. Nem no calor da criação do maior dos meus devaneios, tendo como tema o mar, percebi que sua influência sobre meu estado de espírito fosse tão definitiva.

Estou aqui por causa do mar, pivô da trajetória deste marujo aprendiz de escritor, que a ele retorna para buscar conselhos, que irão definir a sequência da caminhada. Há muito tempo que funciona assim. Sempre que algo importante está para acontecer é próximo ao mar que venho me abastecer.

A razão da supremacia planetária está na quantidade de energia divina pouco alterada pelo homem, que o mar contém. Claro que a falta de consciência ecológica faz uma força danada para acabar com isso. E não é somente o desmando ambiental que produz alteração da pureza da energia da criação. A postura emocional da sociedade humana também interfere no ambiente, desqualificando o perfil da energia eletrônica que mantém o sistema em perfeita harmonia e funcionamento.

No entanto, pela sua grandeza física e pequena densidade demográfica, pois não são tantos os embarcados, em proporção aos não-marujos nessa vida, a energia divina pura à disposição nos oceanos ainda é muito expressiva, tranformando esse ambiente em altamente "fornecedor" da luz pura de Deus.

Particularmente vou aproveitar esses momentos de exposição à energia universal para absorver a paz e a luz necessárias para este momento significativo de minha vida.

Ah! É claro que também vou aproveitar a inspiração para finalizar o livro Cem Crônicas, por isso quem deseja participar da publicação, com alguma crônica própria, se apresse!

Um belo final de semana e um beijo carinhoso em você leitor(a).


TaVar

05 dezembro 2010

Domingo da Paixão



O amor humano é uma salada de sentimentos, posturas e atitudes em relação à pessoa amada. A paixão faz parte desta salada de emoções, pelo menos no início da relação, ou... quando é servida aos dois participantes deste banquete emocional!
Apenas a paixão, e não o amor, poderia levar um compositor a construir uma sentença, na letra da canção que ouço na manhã deste domingo: "...eu preciso respirar o mesmo ar que te rodeia". A emoção que deflagrou a criação genuína, que construiu a linda e perfeita declaração pertence ao conjunto do amor, mas se chama Paixão.
Quando Michael Sullivan e Paulo Massadas compuseram "Um Dia de Domingo", imortalizada na interpretação de Gal Costa e Tim Maia, criando a frase citada, um deles pelo menos, o letrista, tinha no peito um coração desgovernado pelo comando mental de forte e vibrante emoção.
O amor é uma brisa leve, ao contrário da tempestade da paixão, como na letra do imortal Lupicínio Rodrigues, em "Volta", que ouço agora na voz de Fábio Junior: "...Volta; vem viver outra vez ao meu lado, não consigo dormir sem teu braço, pois meu corpo está acostumado".
A primeira vista, parece que o ideal do relacionamento humano seria o amor apaixonado, ou seja, a imagem da constância, do equilíbrio e da parceria do amor conjugal, com o fundo vermelho ardente da paixão vibrante, momentosa e desequilibrada.
Mas será que isso existe? Será que esse processo não se dá como a maturidade pessoal, que substitui os destemperos dos viçosos fios e provocantes formatos dos cabelos jovens, pelos bem penteados e prateados da idade madura?
Quando falo em amor humano, é para diferenciá-lo do amor incondicional, que brota no pulsar do átomo e que sustenta a expansão do Universo. Este amor é causa e suporta todas as consequências das maiores loucuras humanas, inclusive as da paixão. No post seguinte falaremos Dele.
Um bom "Dia de Domingo".


TaVar

04 dezembro 2010

Pare o planeta que eu vou pular!


É muito interessante o que vivemos hoje, como humanidade. Preste atenção nesse episódio do wikileaks: um site divulga documentos oficiais secretos das nações, principalmente da maior de todas, os EUA. O conteúdo desses documentos comprova que a postura e a linguagem dos governos é antiética, mentirosa, vil, hipócrita, cruel, egoísta, falsa, mau caráter, e muito mais ainda, se é que é possível ser pior!
Então está claro que vamos prender ou processar esses governantes, certo? Errado!
Quem está sendo procurado pela polícia em todo o planeta é o denunciante, que, aliás, denunciou e apresentou no site todos os documentos.
Pare o planeta que eu vou pular!   

TaVar

27 novembro 2010

O elétron e o amor


A física quântica começou a ser desenhada quando os cientistas perceberam, nos laboratórios, com os aceleradores de partículas, que a trajetória do elétron, em volta do núcleo do átomo, era modificada perante observação humana. Como tudo no Universo material é feito de átomos, a constatação científica abriu a possibilidade de a consciência influir na constituição da matéria.

Os cientistas, na frente o americano Murray Gel Mann, através de pesquisas nos aceleradores de partícula, já admitem a existência de um domínio externo ao mundo material, onde provavelmente existam agentes ativos também chamados frameworkers, capazes de atuar sobre a energia do Universo, modulando-a e dando-lhe formas de partícula atômica, ou seja - em outras palavras -, uma consciência, chamada também "Agente Estruturador" por vários físicos teóricos.

Eles (físicos teóricos) postulam a existência desta partícula, que seria a partícula "fundamental", que ainda não foi encontrada, mas a qual o Prêmio Nobel da física, Leon Lederman, denomina a "partícula divina". Partícula essa decisiva, pois é ela que determina a massa das restantes, bem como a coesão dada pela gravidade dos 90% do universo ainda desconhecido.

A teoria quântica das supercordas, defendida por um dos mais respeitados físicos da atualidade Edward Witten, do Institute for Advanced Study, de Princeton, EUA, diz que os "quarks", menor partícula subatômica conhecida, estariam ligados entre si por supercordas, que, de acordo com sua vibração determinam as qualidades físico-químicas da partícula em questão. Conforme as vibrações dessas "cordinhas" são criados átomos de hélio, oxigênio, hidrogênio, etc., que por sua vez, se agregam em moléculas, originando compostos cada vez mais complexos, levando-nos a pelo menos onze dimensões.

Assim, simplificando, com o cuidado necessário, por se tratar de matéria científica, o pensamento e o sentimento podem influir no que se tinha por abstrato, a matéria. Isso muda tudo, ou não! O Mestre Jesus, em sua passagem por nosso planeta deixou isso bem claro, com direito a várias demonstrações, inclusive ressuscitando um morto.

Manjaram?

Para mim, a partícula que os cientistas estão procurando pode ser encontrada no sorriso de uma criança, no carinho de uma mãe com seu filho, num botão de rosa se abrindo, no sol nascendo...e em tantas outras manifestações da vida.

O nome disso é AMOR!

Como disse Saint Germain, falta pouco para o homem enxergar o que está por trás do véu.

TaVar

25 novembro 2010

Caro Leitor

taddeu vargas
Imagine esta cena se quiser. Dois bebês estão no útero, confinados às paredes do ventre da mãe, conversando. Para facilitar a compreensão, chamaremos estes gêmeos de Ego e Espírito.
Espírito diz a Ego:
- Sei que você vai achar isto difícil de admitir, mas acredito verdadeiramente que há vida após o nascimento.
Ego responde:
- Não seja ridículo. Olhe à sua volta. Isto é tudo que existe. Por que é que você tem de ficar pensando sempre em algo para além desta realidade? Aceite o seu destino na vida. Fique à vontade e esqueça tudo o que diz respeito a essa bobagem de vida-após-o-nascimento.
Espírito acalma-se por alguns instantes, mas sua voz interior não lhe permite ficar calado por muito tempo.
- Ego, agora não fique bravo, mas tenho algo mais a dizer. Eu também acredito que existe mãe.
- Mãe! - Ego dá gargalhadas. - Como é que você pode falar uma coisa dessa? Você nunca viu uma Mãe. Por que é que você não pode admitir que isto aqui é tudo o que existe? A ideia de existir uma Mãe é maluquice. Você está aqui sozinho comigo. Esta é a sua realidade. Agora segure esse cordão. Vá para o seu canto e pare de ser tão bobo. Acredite em mim, não há Mãe nenhuma.
Espírito interrompe a contragosto a conversa com Ego, mas seu desassossego logo prevalece.
- Ego - ele suplica -, por favor, ouça sem rejeitar a minha ideia. Seja como for, eu penso que aquelas pressões constantes que nós dois sentimos, aqueles movimentos que tanto nos incomodam às vezes, essa continua acomodação e esse enclausuramento todo que parece verificar-se à medida que crescemos, está nos preparando para um lugar de luz resplandecente, que experimentaremos muito em breve.
- Agora vejo que você está absolutamente doido - responde Ego. - Tudo o que você conheceu até agora é escuridão. Jamais viu luz. Como pode sequer cogitar tal ideia? Esses movimentos e pressões que você sente são a sua realidade. Você é um ser singular e separado. Esta é a sua jornada. Escuridão e pressões e uma sensação de enclausuramento são a vida em si. Você terá de enfrentar isso enquanto viver. Agora pegue seu cordão e, por favor, fique tranquilo.
Espírito relaxa por alguns momentos, mas finalmente não pode mais conter-se:
- Ego, tenho só mais uma coisa a lhe dizer e depois não o aborrecerei de novo.
- Então fale logo - responde Ego, impacientemente.
- Acredito que todas essas pressões e todo esse desconforto não apenas nos conduzirão a uma nova luz celestial, como também creio que, ao experimentá-la, encontraremos a Mãe frente a frente e conheceremos um êxtase que suplantará tudo o que até agora experimentamos.
- Você está doido mesmo, Espírito. Agora tenho realmente certeza disso.

Esta metáfora, foi adaptada por Wayne Dier (foto), de uma história de Henti J. M. Nouwen. Ela abre um horizonte imenso na compreensão de quem somos. No livro "Seu Eu Sagrado" - Waine W. Dier, pg. 11, 3ª ed. -, o autor a utiliza para estabelecer os pressupostos que nortearam a edição desta obra maravilhosa, mas o texto é tão intrigante que nos leva a imaginar o quanto ainda não conhecemos da vida e do que nos espera na sequência dela. O além-nascimento, o além-morte e outros aléns são estágios que o ser que somos terá que passar, e que não conhecemos.
Quando li pela primeira vez, vieram-me à mente a postura das pessoas que não crêem em nada além do que está em volta delas e que têm muita dificuldade de se verem além da conjugação: corpo físico, mente e personalidade.
taddeu vargas
TaVar

23 novembro 2010

Livro de Ouro

taddeu vargas
Quando tenho uma coisa importante para fazer ou estou precisando de uma inspiração para desenvolver algum assunto, tenho o hábito de abrir o Livro de Ouro, do Mestre Saint Germain, de modo aleatório, para deixar que a sabedoria divina me indique, através do texto "casual", o que devo fazer.
Ontem, ao me deparar com uma situação como a descrita acima, abri o livro do Mestre e me deparei com a seguinte sentença:
"Permanecei com ELE e deixai que ELE aja. Mantende-vos n'ELE e com ELE. Não há nenhum outro poder para agir. Disso resulta um progresso contínuo, como a neve descendo da montanha."
O assunto que eu estava tratando fluiu naturalmente, apresentando situações completamente diferentes de tudo que eu tinha imaginado, como se houvessem soluções previamente resolvidas e vida própria em seu curso fático.
Mais tarde me deparei com uma questão bem pontual, dentro da mesma situação que deflagrou esse texto e desejei interiormente uma solução para o problema, pois a condição humana (ego) não me mostrava saída. Fechei os olhos, me concentrei e abri novamente o Livro de Ouro, de forma aleatória, e me deparei com uma passagem sublinhada por mim há anos atrás e que dizia o seguinte:
"Um fator muito poderoso para usar em problemas, é assumir a simples consciência: Deus em mim, Presença EU SOU, manifesta-Te! Governa e resolve esta situação harmoniosamente".
Assim é! Nunca estamos sozinhos! A presença EU SOU - o Teddy de cada um de nós - está sempre a postos, esperando para indicar o melhor caminho.
Desejo a você uma excelente terça-feira, e que você lembre desse texto quando qualquer coisa importunar seu dia, ou mesmo quando precisar de uma dica sobre qualquer tipo de assunto. Ela está esperando para brotar na sua consciência.
Se desejar posso indicar um link para acessar o Livro de Ouro de Saint Germain, é só deixar um comentário com a solicitação.
taddeu vargas
TaVar

16 novembro 2010

Palavras de Saint Germain IV

taddeu vargas
"Acalmai com frequência a expressão externa, porque ela precisa é de obediência à Grande Luz Interna. Quando surge o impulso para discutir, criticar ou experimentar uma resistência, é sinal de que o externo está se intrometendo para chamar atenção sobre si. É a hora, então, pelo poder de vosso livre-arbítrio, de mandar o externo silenciar e obedecer à "Presença 'EU SOU' ".
É inútil discutir. Silenciai o exterior; então, com amorosa obediência, dai a instrução. Dessa maneira Ela pode manifestar-se sem impedimento.
Quando os discípulos tiverem penetrado na senda consciente, o mais leve indício de distúrbio ou resistência de qualquer espécie deveria ser seguido instantaneamente do silenciar de toda a atividade externa, e da declaração: "EU SOU a atividade obediente e inteligente desta mente e deste corpo, EU SOU o Poder que governa e ordena tudo harmoniosamente". Livro de Ouro – Saint Germain – Editora Ponte Para a Liberdade – 4ª Edição – pág. 60.
Neste começo de semana curta, com as mil atribulações da vida cotidiana, fica difícil parar e ordenar a perfeição, que só pode ser alcançada via o nosso EU Sagrado, a Presença EU SOU.
Aproveite estas palavras do Mestre Saint Germain e faça de sua semana um período de vida produtivo, sereno e feliz.
Uma semana maravilhosa para você leitor.
taddeu vargas
TaVar

07 novembro 2010

Saudades do horário político...

taddeu vargas
Pior que político em campanha, só político depois de eleito!
Sabe o imposto sobre movimentações financeiras, que foi criado para cobrir as despesas com a saúde? Aquele que nunca foi usado pra isso. Que o governo chorou quando foi abolido! Pois é! Mal guardaram as urnas eletrônicas no armário e lá vem a história de novo.
Vários políticos se manifestaram pelo retorno da CPMF (imposto do cheque). Inclusive o Senador Sarney disse há poucos dias que o senado pode tentar isso no início da nova legislatura. A Presidenta Dilma disse que não vai encaminhar nada nesse sentido ao Congresso, mas...se o pedido vier através dos parlamentares, será avaliado. Manjaram??!!
Se não quisermos conviver com mais um imposto em nosso dia-a-dia, penso que temos que construir aqui na internet o maior movimento on-line até hoje já verificado. O governo pensa sim em recriar a CPMF, sob o argumento de que a saúde precisa de dinheiro novo (interessante que, antes das eleições, ambos os candidatos repeliam, de forma veemente, qualquer conversa em torno de aumento de impostos)
Só para refrescar a memória de alguns, o impostômetro (painel eletrônico, em São Paulo, que mede a quantidade de dinheiro, já arrecadada pelo governo durante o ano), em outubro deste ano, marcou a incrível cifra de 1 TRILHÃO, sendo que, em 2010 foram arrecadados impostos, a mais do que o previsto, no valor equivalente a 2 CPMFs, por conta do superavit tributário, e mesmo assim o governo não investiu na saúde sequer os 12% previstos na constituição.
Assim meus amigos, sinto saudades do horário político, pois lá, apesar da chatice da propaganda obrigatória e do besteirol, não tinha aumento de imposto.
taddeu vargas
TaVar

24 outubro 2010

Inimigo na trincheira

taddeu vargas
Normalmente nos postamos a uma distância cuidadosa dos inimigos. Dos conhecidos! E quando não os conhecemos, ou melhor, quando nos os identificamos assim?
É o que ocorre com o ego humano. Ele mora em nossa casa e se permitirmos ele bota ela abaixo!
Não sou psicólogo, embora exiba com honra e glória em meu currículo amoroso uma longa e reparadora convivência com uma mestra no assunto e uma relação breve, mas com intenso e qualificado aprendizado com uma outra doutora nas emoções. Assim, ouso formular aqui algumas questões sobre um dos assuntos mais importantes para a compreensão de quem somos, o que estamos fazendo aqui e como fazer para buscar a felicidade.
Eu fiz tantas bobagens nesta minha vida, que quase desacreditei em Deus, creditando a Ele tão disparatada criatura. Imaginava que Deus deveria ser mais perfeito e mais inteligente e assim me fazer uma criatura mais sensata, mais centrada, mais amorosa, enfim, melhor! 
Com o passar do tempo fui admitindo a possibilidade efetiva da existência Dele e desconfiando que a imperfeição humana podia ser o caminho para desvendar o mistério por trás da aparente criação. As leituras do Mestre Saint Germain e a meditação me mostraram que eu não era apenas o Taddeu e muito menos e ego do Taddeu. Morava em mim um outro sujeito, mais calmo, mais sensato, mais sabio, mais compassivo, muito mais amoroso!
Decidi chamá-lo de Teddy, o Outro! Este indivíduo, aparentemente invisível, é maior e mais iluminado que seu agregado humano.
A maior e principal atividade do ego é esconder essa iluminada criatura que reside em nós. Para isso ele lança mão de todos os argumentos que puder, chamando nossa atenção para o corpo físico, a beleza, o dinheiro, a crítica, enfim, produzindo inúmeros pensamentos que afastem a possibilidade de paz, de silêncio, pois com o advento deles nossa consciência tende a reconhecer a iluminada e sábia outra parte de nós.
Santas palavras de Waine Dier, ao relatar em "Seu EU Sagrado" ..."do ponto de vista do ego, Deus é a grande ameaça".
Um belo e feliz domingo para você leitor(a) querido(a).
taddeu vargas
TaVar

17 outubro 2010

Saia de Si e Se olhe


Quando saio de mim e me olho, quem eu vejo é eu, mas quem olha é o Teddy! Manjou Rosa? O Teddy, é a testemunha compassiva, no dizer de Waine W. Dier, em "Seu Eu Sagrado", um dos melhores livros que já li, pelo que agradeço à minha companheira de muitas vidas pelo presente.

O Teddy não entra em depressão, não engorda, não ganha pouco, não tem problemas familiares, não vota! Ele é eu! Mas não o eu físico, mortal. Não é ele a mente humana e o ego que dirigem minha vida humana. O Teddy é o ser maior, o ser real, do qual o Taddeu é uma pequena e transitória projeção. Quase uma ilusão.

Experimente ficar em silêncio por alguns instantes e se imagine há uns dois ou três metros de distância, se vendo. Sinta-se do lado de cá, olhando seu corpo físico imóvel. Você faz isso pelo menos duas vezes ao dia, ou à noite! Quando sai para a viagem que nós humanos chamamos de sonho e quando volta dela, para novamente habitar vosso corpo físico. Muitas pessoas fazem isso muito mais vezes ao longo do dia. E você não corre perigo algum. Esse procedimento é da nossa natureza.

O que Dier chama de testemunha e eu chamo de Teddy é o nosso ser interior, aquele que realmente existe - a imortal, perfeita e definitiva forma luminosa que ELE desenhou, conforme um marujo aprendiz de escritor.
Quando ouço as pessoas se referirem a si próprios como seres imperfeitos, fica muito claro o porquê da humanidade ainda não ter respondido de onde veio e para onde vai.

Se ver como um corpo físico, orientado por uma mente que transporta o ego humano é enxergar apenas uma parte do que realmente somos, a menor delas.

Bom domingo a todos!

TaVar

16 outubro 2010

Teddy, O Retorno!

taddeu vargas
Ele andava meio arredio ao teclado, mas resolveu aparecer e foi logo ditando uma matéria pra lá de polêmica.
Segundo ele, o Universo é maravilhosamente inteligente, em todos os aspectos e em todos os níveis. No nível celular, por exemplo, argumenta, a célula humana carrega um DNA mutante, que se altera em função do conhecimento e experiência que a consciência do ser que a carrega absorve.
Em outras palavras, a célula humana tem inteligência própria e mecanismo de percepção da cultura atual do grupo e ambiente a que pertencem o ser humano que a mantém, mudando e se adaptando em função dos conhecimentos dos seres físicos.
A partir do momento que a célula percebe que determinado conhecimento foi assimilado pela consciência do indivíduo, ela se autodesresponsabiliza pelo sistema de segurança, que preveniria qualquer tipo de ameaça oriundo do não conhecimento. O sistema celular não avança sobre o livre arbítrio humano.

Deus fez mais que criar um universo perfeito e o homem, Ele respeita sua criação pela instituição do livre arbítrio.

O Teddy aponta como exemplo do que defende acima a incidência de câncer em indivíduos jovens, pelo uso do fumo e a manifestação cada vez mais fulminante da doença, matando cada dia mais rápido, apesar do avanço espetacular da medicina, num cenário bem diferente da época em que não se tinha conhecimento das consequências maléficas do hábito de fumar, sobre o corpo físico humano.
É um assunto interessante e pedi ao Teddy que nos forneça mais informações sobre ele nas próximas manifestações. Ele respondeu que sim, voltará aqui nos próximos dias, com mais dados, mas alertou sobre nossa responsabilidade sobre aquilo que aprendemos.
Viu só que sujeitinho danado!!??
Até a próxima!
taddeu vargas
TaVar

10 outubro 2010

Soneto Vital

taddeu vargas
Domingo acabando
Sol declinando
Noite apontando
Segunda preparando


Amizade criando
Paixão rondando
Amor gerando
Vida eternizando


Intuição sentindo
Meditação fluindo
Iluminação assumindo


Homem evoluindo
Energia invadindo
Deus sorrindo
taddeu vargas
TaVar

09 outubro 2010

Pensamento do Dia II

taddeu vargas
O homem só consegue crescer quando se vê criança.
taddeu vargas
TaVar

Pensamento do Dia

taddeu vargas
Em matéria de negócios, a diferença do homem comum para o visionário é que o primeiro enxerga, o segundo sente!
taddeu vargas
TaVar

19 setembro 2010

Seu EU Sagrado

taddeu vargas
Um dia eu falei para uma mulher que ela não existia. Expliquei que, em vez do corpo físico - uma virtualidade, uma ilusão -, o ser luminoso que ocupava aquele local onde ela se encontrava, embora invisível para os olhos menos experimentados, era o verdadeiro EU dela e único ser real a habitar aquele espaço.
Tínhamos nos conhecido pessoalmente há poucas horas, o que potencializava o risco de eu perder a companhia mesmo antes de conhecê-la melhor. Por algum motivo ela não se atirou do 16º andar do meu prédio, embora tenha ficado com a impressão de que seu anfitrião não passava de um maluco.
Dois anos e alguns meses depois daquele primeiro encontro e de muitas tardes e noites conversando sobre espiritualidade, ela retorna e me presenteia com um livro do Dr. Waine W. Dier, que apresenta seu trabalho, em frase única na página, com a seguinte sentença:

"Toda a minha vida quis ser alguém,
Agora, sou finalmente alguém...
Mas não sou eu."

O livro "Seu Eu Sagrado", do autor citado, Editora Nova Era, é uma leitura imperdível. Um daqueles livros que fica na cabeceira por meses, anos. Companheiro certo mesmo nas viagens, percorrerá milhares de kilômetros dentro das minhas bagagens.
Fará companhia a alguns outros, como o Livro de Ouro de Saint Germain, Conversando com Deus e outros do Neale Donald Walsh e alguns do casal Hicks.
Fica aqui o agradecimento público pelos presentes (foram dois, um outro do Neale), embora o maior deles seja vê-la linda e encantadora, como sempre, mas agora com esses atributos a ornamentar um ser espiritual que se abre para a vida como um botão de rosa se abre para a luz do dia.
taddeu vargas
TaVar

04 setembro 2010

Comida ou Liberdade?

taddeu vargas
Esta é uma questão antiga e se renova a cada ciclo político vivido pelas nações e cidadãos do mundo.
Há pouco, assistimos o ícone planetário da democracia restringir liberdades do mercado para tentar sair da maior crise econômica, desde o crack da bolsa de Nova Yorque, em 1929.
No Brasil de 2010 vivemos uma disputa política aparentemente com o mesmo cenário das eleições anteriores: de um lado o sucessor de FHC e de outro a escolhida de Lula. Desde 94 assistimos esse desfile.
Entretanto, desta vez, existe muito mais em jogo, além da plataforma política e  capacidade administrativa de cada um dos candidatos.
O governo do PT desenvolveu bem a economia nacional, o emprego e a classe média cresceram, a pobreza diminuiu e o PIB bate recordes de décadas, satisfazendo a primeira parte do título da crônica.
Na mesma proporção do avanço da riqueza nacional, da melhora da situação econômica de cada um dos brasileiros, descortinou-se o viés autoritário e truculento do comando político atual. Já conhecíamos a tendência antiética e inescrupulosa petista na obtenção de resultados, em episódios como o mensalão, os dossiês dos "aloprados" e outras investidas sempre, oficialmente, desmentidas.
Quando esta crônica surgiu, no plano mental, ainda era início de agosto e os recentes fatos que ligam o PT à quebra de sigilos fiscais, ainda não tinham tomado forma. Mas só confirmam a tendência.
O que mais preocupa, no entanto, é o perigo que a democracia corre, a partir das manifestações de apoio do governo Lula aos regimes do Irã e da Venezuela, associados ao currículo bélico da candidata.
Enquanto temos Lula no poder, sentimos uma certa tranquilidade, mais pelo perfil humanitário do primeiro presidente brasileiro que governou para os pobres, do que pelo viés autoritário do seu staf.
Se as pesquisas de opinião estiverem certas, poderemos ter no poder, por mais quatro anos, uma eficiente máquina de acabar com a fome dos brasileiros, financiar casas para a população de baixa renda, e colocar carros na garagem delas. Mas o risco de um governo autoritário, maquiavélico, simpático à liberdade de imprensa imposta pelo governo chavista da Venezuela é real.
A assunção de governos de esquerda na América Latina, após um primeiro momento de enfoque democrático, face os horrores cometidos pelas ditaduras militares, ameaça dar a volta e rumar na mesma direção trilhada por aquelas.
Eu, entre a comida e a liberdade, escolho a vida! Vou de Marina!
taddeu vargas
TaVar

10 agosto 2010

Exemplo de dirigente


Recentemente, o futebol brasileiro, através de um de seus protagonistas, deu um exemplo de retidão, profissionalismo e dignidade. O episódio da tentativa de contratação do Sr. Muricy Ramalho, pela CBF, para comandar a seleção brasileira de futebol e a recusa do técnico, em função do acordo apalavrado com o Fluminense, é como um domingo de céu azul e de sol quentinho, no meio do inverno frio e úmido que normalmente caracteriza o futebol brasileiro (...e a nossa Porto Alegre).

No domingo, após a partida entre Grêmio e Fluminense, válida pelo campeonato brasileiro, em Porto Alegre, o futebol seguia a sua rotina, com a iminência da demissão do técnico, cuja cabeça era pedida pela torcida e que, certamente, não resistiria no cargo após mais uma derrota, desta vez em casa.

A surpresa veio na forma da demissão. Na coletiva de imprensa, ao contrário dos dias de vitória, quem sentou no centro da mesa, tendo um batalhão de repórteres à frente foi o Presidente do clube, tal qual o comandante da nau em perigo no mar adverso, de pé, na proa, olhando no olho da tempestade.

Mais que uma prova de coragem e dignidade, o Sr. Duda Kroeff (foto) dá um exemplo e inaugura um novo formato de retorno ao torcedor do clube, marcado pelo respeito e pela transparência no trato dos interesses da agremiação, ao demitir os responsáveis pelo futebol na frente da imprensa, com humildade, profunda consideração aos profissionais, mas com a autoridade dos puros.

O dirigente, embora contestado por parte da torcida tricolor, em função de escolhas pessoais e decisões que desagradaram a alguns, quase sempre emitiu suas opiniões sobre o futebol e o clube de maneira clara, às vezes causando surpresa pelo discurso franco sobre questões polêmicas e míticas.

O futebol brasileiro necessita com urgência de posturas desse tipo. Assim como a vitória, o futebol tem que mirar a verdade, alicerce das virtudes demonstradas pelo dirigente no episódio da demissão.

TaVar

04 julho 2010

Torpedo

taddeu vargas
Quando a criança estava terminando de escrever a frase na areia, na beira do mar, a onda vinha se aproximando.
Vi o rostinho infantil sorrir, tranquilo, como se tivesse combinado com o mar, que a mensagem escrita na areia iria ficar ali para sempre!
O que vi em seguida, acho que não vi, sonhei, mas o que sonhei, ou vi, foi a frase ser levada pela onda do mar. Pude ler o que estava escrito na onda e nunca vou esquecer!
A onda já ia longe levando a mensagem, e a criança feliz, se despedia de sua amiga mensageira, com mais um sorriso!
taddeu vargas
TaVar

03 julho 2010

Seleção X Brasil

taddeu vargas
Faltavam técnico e craques, como já se sabia, mas a derrota, antes da final, acabou vindo por outro motivo. O desequilíbrio emocional derrotou a seleção brasileira, no segundo tempo do jogo no estádio Nelson Mandela Bay, em Porto Elisabeth, na África do Sul.
A união do grupo, coisa tão saudável em qualquer tipo de ação, por causa dos acontecimentos de 2006, foi tão priorizada, que virou uma competição do grupo contra todos. A seleção do Dunga jogava para provar que a imprensa e o mundo estavam errados e somente eles detinham o conhecimento e a verdade.
Da maneira bélica que a relação com as pessoas que estavam fora do grupo foi construída, só deixava uma alternativa: ganhar todos os jogos e ser campeão do mundo. Qualquer coisa menos que isso seria um desastre. O isolamento absoluto da seleção, as tensas entrevistas coletivas, os treinos fechados, o mau humor constante do treinador, foram apenas os ingredientes de uma condução neurótica, equivocada e desastrosa.
Esse ambiente de isolamento que entrincheirou a seleção, criando uma competição contra todos, na obstinada pretensão de provar, que a única possibilidade de se obter a vitória era trilhar o caminho eleito pelo comando do grupo, desgraçou a seleção brasileira quando sofreu os gols na partida contra a Holanda.
Sim, por que aí teria que jogar futebol, um futebol organizado, com destaque para as estrelas do time, revertendo o placar negativo. Para isso precisava cabeça fria, tranquilidade, ...equilíbrio emocional! Mas isso não foi treinado!
A possibilidade de sofrer uma derrota, dando razão a todos os desafetos cultivados durante a campanha de preparação instalou o desespero, destemperou o plano tático e permitiu que as falhas individuais determinassem o placar.
Quem se enclausura nas dependências de uma opinião, considera tudo que estiver do lado de fora o argumento de um inimigo, criando o paradoxo de uma partida de futebol da seleção brasileira X Brasil.
taddeu vargas
TaVar
taddeu vargas

28 junho 2010

É Teddy, não Ted!

taddeu vargas
Antes de me responder as perguntas da sessão matutina, ele fez questão de esclarecer que seu nome é Teddy, e não Ted, como eu o chamava. Não que fosse importante para ele, segundo o próprio, mas pela publicidade da nossa relação, e pelos desdobramentos dela, já que externo por aqui nossos papos, com nome e sobrenome.
Perdoem-me os leitores mais assíduos, todavia tenho que explicar aos recém chegados que Teddy é o meu ser interior, o sujeito espiritual que me habita. É o cara que escreve o que tem de melhor nos "meus" textos.
Foi uma madrugada de correções e puxões de orelha, mas produtiva ao final.
Depois de corrigir a ortografia de seu nome, me perguntou o porquê de passar dias sem colocá-lo para redigir minhas crônicas, ou dele! Tentei explicar que era o trabalho, a atenção voltada para a criação de textos profissionais, etc. Não convenci nem ele, nem eu!
Mas, a sacudida produziu efeitos, tanto que estou aqui outra vez, dando vasão aos pensamentos e sentimentos que estavam hospedados há um bom tempo, pedindo pra sair e fazer parte do mundo real, ganhando forma escrita e visível, quem sabe até colorida!
Os devaneios da madrugada perguntaram sobre a data do lançamento do livro Cem Crônicas, pela redação das últimas crônicas, revisão geral e demais providências. Este foi o clima do amanhecer: correções, cobranças e decisões que resultam na retomada da disciplina redacional, tão desbotada nestes tempos de novos projetos profissionais no topo das atividades, combinados com a inevitável pauta esportiva da Copa do Mundo.
Ficou decidido que vamos estar aqui diariamente, a partir de hoje, contando o cotidiano da nossa relação (Taddeu & Teddy). Com isso cumprimos o maior de todos os compromissos assumidos, que é dar a conhecer a experiência de viver intensamente a vida, do ponto de vista do meu ser interior, sem perder a identidade e o dia-a-dia prazeroso da vivência humana. De quebra, vamos produzindo os textos que faltam para concluir o Cem Crônicas. Legal né?
Até amanhã!
taddeu vargas
TaVar

13 junho 2010

Faça como Dunga: Não use craque!

taddeu vargas
A pauta é, inexoravelmente, a Copa do Mundo!
E resolvi escrever a crônica logo, antes que o Brasil esteja de volta e o assunto caduque. Infelizmente fomos (nós brasileiros) vítimas de alguns equívocos da CBF e também da fatalidade, mas o certo é que o time do Brasil não deve chegar às fases finais da primeira Copa do Mundo do continente africano.
O primeiro equívoco foi contratar um ex-jogador de futebol e não um técnico para dirigir o escrete brasileiro. Temos pelo menos dez profissionais de excelente qualidade e que poderiam estar agora em Joanesburgo, à frente da preparação tática e técnica da seleção brasileira de futebol.
A culpa não é do Dunga. Ele foi convidado pelo Sr. Ricardo Teixeira, inventor do Dunga como técnico de futebol. Como dizia meu avô: "Quem inventa é inventor".
Ocorre que a escolha do Dunga e a fatalidade (Kaká em mau momento de condicionamento técnico) acabaram com as chances de trazer o hexa para o Brasil.
Nas cinco copas do mundo ganhas pelo Brasil tínhamos técnicos de futebol e craques no time, fenômenos do esporte bretão que fazem a diferença na hora da decisão, senão vejamos:

Copa de 1958
Técnico: Vicente Feola e jogadores como Pelé, Vavá, Zito, Mazzolla, Garrincha, Didi, Gilmar, Zagallo, entre outros.
Copa de 1962
Técnico: Aymoré Moreira e praticamente os mesmo jogadores da copa anterior. Nesta copa Pelé se machucou e aí Mané Garrincha chamou para si a responsabilidade e entre outras que aprontou, dizimou o English Team pelo escore de 3 a 1. No dia seguinte, os jornais ingleses estampavam: "Mané Garrincha é um extra-terrestre"
Copa de 1970
Técnico: Zagallo e jogadores como Clodoaldo, Gerson, Rivelino, Paulo César Caju, Jairzinho, Pelé e Tostão.
Copa de 1994
Técnicos: Parreira e Zagalo e craques do porte da dupla Bebeto e Romário
Copa de 2002
Técnico: Luiz Felipe Scolari e os fenômenos Rivaldo e Ronaldo, este artilheiro da copa com 8 gols.

Em 2010 temos um técnico que nunca treinou um time de futebol e Kaká, o único jogador realmente diferenciado na seleção está com menos de 50% de capacidade técnica, para desenvolver o seu futebol. Os craques que poderiam inventar uma forma de ganharmos a copa, como fizeram os gênios que escreveram a história das cinco conquistas do futebol brasileiro, ficaram de fora. É o caso de Ronaldinho Gaúcho, Paulo Ganso, Neymar e mais uns dois ou três meninos que ficaram no Brasil, e vão assistir pela TV o fiasco que se prenuncia.
Mesmo assim vamos torcer para que ocorra um milagre e surja das entranhas do imponderável a sexta conquista brasileira no futebol. Se isso não ocorrer, teremos a compensação da viabilidade de uma faxina na CBF, com a substituição do senhor do futebol brasileiro e inventor Ricardo Teixeira.
taddeu vargas
TaVar

Ps. A frase-título do post não é minha. Foi veiculada em out-doors na cidade de Campo Grande, MS, por um grupo de empresários e aficcionados por futebol.

29 maio 2010

A janela dos sonhos



Amanheci fora do meu ninho, do meu tempo... despertado pelo som rítmico de pingos de chuva, acompanhado pela melodia impetuosa do vento minuano, castigando a janela do quarto.

No último verão passei muitas horas em frente a esta abertura, com vista para o mundo. A cada dia as imagens que a janela descortinava se alteravam, num processo evolutivo que modificava o visual e a própria essência das coisas.

A mesma janela que outrora me apresentara o céu, o sol e o mar, de um modo que eu jamais percebera, novamente me despertava com elementos da natureza, avisando-me que a viagem pelas outras dimensões da realidade seria interrompida, para mais uma jornada diária do meu cotidiano.

A noite é como uma janela. Ela abre a possibilidade de uma nova visão da vida. Os sonhos são realidades, vistas de um modo diferente. A viagem que empreendemos à noite, enquanto nossas verdades humanas repousam, fazem parte de nosso projeto maior de vida, o que acrescenta mais carga horária em nossa experiência e com informações interessantes e de qualidade superior.

O caminho para a liberdade, evolução e felicidade dos seres humanos, passa pelo aumento da consciência dos conteúdos que as janelas mostram ao se abrir.


TaVar

26 maio 2010

A Vida é simples

taddeu vargas
"A poderosa Energia que se lança através de vossa mente, dentro de vosso corpo, é a Pura Energia Eletrônica de Deus, a Poderosa presença EU SOU. Se vosso pensamento se conservar alegremente ligado ao vosso Ser Divino, considerando-O como origem de vosso ser e de vossa vida, essa Pura Energia Eletrônica continuará a atuar inalterada, sem ser contaminada pela discordante qualificação humana; mas se, consciente ou inconscientemente, permitis que vosso pensamento comece a agitar-se com a discórdia que freqüentemente vos cerca, então mudais a cor e a qualidade dessa Pura Energia Radiante"

As palavras do Mestre Saint Germain descrevem nosso dia-a-dia humano, vivido sem nos apercebermos do quanto divinos somos. O parágrafo acima resume a VIDA, pois relata desde o momento em que recebemos a Luz de Deus, que entra por nosso chakra coronário, no alto da cabeça e se dirige até o centro de nosso ser, fazendo pulsar nosso coração.
A Luz que recebemos carrega perfeição, abundância, sabedoria infinita e todos os demais atributos do Pai. Se reconhecermos e visualizarmos isso, algumas vezes durante o dia,  estaremos enchendo nossa vida de alegria, harmonia e felicidade. Parece muito simples. E é! Complicada é a nossa visão de mundo. Lembre-se disso ao viver o dia de hoje.
taddeu vargas
TaVar
taddeu vargas

25 maio 2010

A frase do dia

taddeu vargas
O vegetarianismo, antes de ser uma opção pela própria vida, é um ato de defesa de outras.
taddeu vargas
TaVar


22 maio 2010

A morte e a vida!

taddeu vargas
A vida nas grandes metrópoles, a cada dia que passa perde terreno para a morte.
Ontem, em uma grande cidade, mais uma vez tive a oportunidade de constatar a sina humana de procurar a morte, em vez da vida. É claro que o fenômeno não é exclusivo das metrópoles, mas ali, onde a sociedade humana desfila seus equívocos, não requer maior senso de observação, senão um pouco de abstração, para verificar o rumo que o homem escolheu dar a sua trajetória terrestre.
Em contrapartida o Universo derrama vida em cada lugar onde eu foco meu olhar. Teimosamente os deuses dos tempos insistem em enviar luz, água, ar, alegria, paz, harmonia, bênçãos, amor...vida! Mas o homem escolhe ter agitação, barulho, poluição, violência, rancor, tristeza, medo...morte!

"O homem é passageiro transitório da vida" diz o Ted, explicando que a eternidade da vida não cede aos caprichos imediatistas do homem. Ela segue sua senda, do menos para o mais infinito dos tempos programados por Aquele que a inventou.

Talvez eu não tenha percebido e o homem esteja apenas testando a compaixão e a tolerância das forças da natureza, dos deuses dos tempos, usando a terra como laboratório para grandes e maravilhosas teses revolucionárias de convívio e bem estar, que implantarão a violência, o caos, o extermínio em massa e toda sorte de receitas modernas e evoluídas para a consagração... Da morte!
Consciente, ou inconscientemente é isso que a sociedade humana está fazendo, mas a cada dia que passa, e essa pode ser a única notícia boa de hoje, mais pessoas estão se dando conta disso e se movimentam para fazer uma outra escolha... A vida!
Não pode ser outra a leitura de quem para um pouco e pensa no maior de todos os bens que recebeu do Universo, que se manifesta no pensar e sentir, no olhar, nos lagos, nas montanhas e florestas,...no sorriso de um bebê, e os compara com o que vê acontecer nas grandes cidades, e nos noticiosos fúnebres que cobrem esses acontecimentos.
Agora estou de volta ao interior, onde o natural ainda faz sombra ao construído, - mas não muito - e onde o conjunto da vida aparece mais, impondo a harmonia necessária ao desenvolvimento de uma melhor consciência humana.

Republicado a pedido

TaVar
taddeu vargas

19 maio 2010

Janelas

taddeu vargas
Bom dia! Você já abriu a janela de seu quarto hoje? A janela do quarto, normalmente, é nosso primeiro contato com o mundo exterior. Até para saber como está o tempo e como devemos nos vestir para sair à rua.
Mas não é apenas esta janela que abrimos durante o dia. Quando abrimos a agenda descortinamos nossos compromissos de trabalho e outras responsabilidades que esperam ações. A tela do computador é a janela que abre um mundo novo, quase sem limites, onde desfilam os componentes de um espaço virtual que, a cada dia que passa, ocupa mais horas do nosso dia.
Eu abri a janela de meu quarto às 5h58. O dia se preparava para começar. No mar já se notava o clarão do Sol a marcar a linha do horizonte, prestes a entrar em cena, inaugurando a atividade humana, o corre-corre, a frenética luta pela sobrevivência.
Há alguns anos atrás eu descobri uma outra janela, que acabou por mudar muito a minha vida. Mudei minha rotina por causa dela. Todos os dias, bem antes do sol nascer eu abro esta janela e acesso um mundo ainda maior que a rede mundial de computadores.
A cultura oriental abriu essa janela muito antes do que a ocidental, o que pode ser notado nos costumes, na alimentação, no perfil religioso e agora na crescente supremacia das nações asiáticas no cenário mundial.
A janela interior dá acesso às outras dimensões do nosso viver. Foi de lá que viemos! E para lá voltaremos, pois nosso habitat atual é provisório, impermanente, precário, ou, como no dizer do Mestre "Estamos aqui não por acaso, mas de passagem!"
Ao abrir esta janela encontramos alguém que nos conhece muito bem. Foi por decisão dele que chegamos até aqui! Ambos dependem desta estada para que o conjunto alcance seus objetivos: liberdade, evolução e felicidade!
Nosso eu interior, que habita o território que esta janela esconde, deseja que ela se abra, permitindo nossa entrada no mundo real, na verdade espiritual da vida, para juntos, daí em diante, seguirem o caminho da iluminação, da compreensão, do entendimento, da compaixão, da tolerância, da liberdade, da evolução, da felicidade... do amor!

Ps. Post republicado a pedido

TaVar
taddeu vargas

16 maio 2010

Segunda-feira

taddeu vargas
Amanhã é um dia especial, dia de despertar com excesso de expectativa! Isso acontece nas segundas-feiras! Acordo cheio de uma energia motivadora, renovadora, visionária!
Tudo começou na metade dos anos 90, quando comecei a perceber que nada que me acontecia derivava de coisas que eu mesmo não tenha "solicitado", via postura emocional diante da vida. Ou seja, a colheita de situações, vivências, companhias, alegrias e tristezas decorrem diretamente dos meus pensamentos e conseqüentes sentimentos, nos 7 dias das minhas semanas.
As segundas-feiras eram chatas, sonolentas, quase depressivas e os seguintes dias da semana fluíam parecidos, até o final de semana raiar, quando uma espécie de anestésico emocional fazia a alegria voltar, a auto-estima revigorar, a esperança de felicidade retornar, muitas vezes no embalo da bebida, mas sempre relacionadas a atividades físicas, festivas, gastronômicas!
Foi quando percebi que não podia ficar refém do final de semana, e jogar fora a maior parte de minha vida, consubstanciada no somatório dos dias de semana mal aproveitados, infelizes!
Comecei a planejar minha semana, dia por dia, desde a segunda-feira, o mais importante de todos eles, já que acabou se transformando na base operacional, na porta de entrada da agenda semanal. Desse modo, comecei a curtir a 2ª feira e na seqüência os outros dias da semana se tornaram importantes, em respeito aos compromissos lá assumidos.
A agenda contém tudo que eu quero associar a minha vida. Todas as experiências que quero viver e os bens materiais e imateriais que desejo agregar à minha estada aqui na terra. O domingo virou dia de balanço, de avaliação dos resultados obtidos e de reflexão para a agenda da semana seguinte.

Junto com esta mudança de postura vieram os insights mostrando como aproveitar melhor os dias, as experiências, a vida!

O Universo sempre responde às nossas atitudes, de modo infinitamente sábio, proporcionando aquilo que necessitamos a seguir, de acordo com nossas escolhas anteriores. É um parceiro que responde às nossas posturas indicando os passos seguintes.
Depois de um tempo, lá estava eu planejando minhas semanas no mês...a primeira é a base da demarcação dos objetivos mensais que vou alcançar... Na seqüência foram os meses do ano!
Assim, o ano de 2010 está eleito como o período mais produtivo e feliz da minha vida.
Viva a Segunda-feira, o dia mais importante da semana!
Uma boa segunda-feira para você meu leitor!

Esta é uma repostagem, feita a pedido.
TaVar
taddeu vargas

14 maio 2010

Fuga de perfil

taddeu vargas
Hoje eu não aguentei! Faço uma força incrível para não falar de política, de futebol e de qualquer tipo de mazela da nossa sociedade aqui no blog, mas três acontecimentos recentes destas áreas invadiram meu depósito de bom senso e fizeram transbordar meus pensamentos e sentimentos em relação a eles. Ei-los:


Futebol
"Faça como Dunga, não use craque". 
O outdoor, na cidade de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, com senso de humor e muito bom gosto, fala de um sentimento que agride a paixão futebolística de muitos de nós, brasileiros.

Política
"Querem acabar com a propaganda política antecipada? Penalizem os partidos políticos com redução no tempo de TV, em vez de aplicarem multa em dinheiro". Essa é minha!
Ontem, 13 de maio, enquanto o tribunal estava julgando um processo por propaganda antecipada do PT, na televisão passava o programa do mesmo partido, fazendo campanha antecipada.

Segurança
"Fui assaltada por dois ladrões armados, que levaram a minha bolsa, com R$ 13.500,00, dentro da delegacia de polícia, e dois agentes assistiram a tudo e não fizeram nada". Senhora moradora em Salto, interior de São Paulo, que havia retirado o dinheiro do banco, horas atrás.
Em matéria de (in) segurança pública, já tínhamos visto quase tudo!

TaVar
taddeu vargas

12 maio 2010

Minha Paixão

taddeu vargas
Paixão feminina, linda, nem loira, nem morena, cheia de opinião, bem informada, bem vestida! Daquelas que quando vai pra rua tem até torcida. Mas é recatada e por pouca gente, de perto, já foi vista, aliás, revista!

Foram quatro meses de trabalho para construir a primeira paixão desumana das que já me envolvi. Mas nem por isso é menos intensa ou fácil de lidar. O certo é que não é paixão vermelha, mas de uma surpresa de cor que faz o sorriso brilhar!

Nesse tempo de criação e construção desta paixão larguei tudo, família, amigos, outros trabalhos, deixei todos de lado, só não abandonei o teclado! Sem ele não sou, sem ele não vivo e apenas com ele sobrevivo!

E se a mencionada paixão inusitada vingar? Por ela vou me apaixonar, e colocá-la no meu altar? Ou será apenas mais uma das minhas tantas ilusões, que seguem seus caminhos livres dos meus pensamentos e das minhas prisões?

TaVar
taddeu vargas

01 maio 2010

Twillian Bonner

taddeu vargas
Uma das manchetes do jornal de maior tiragem do sul do Brasil, edição de ontem, chamou a minha atenção. O destaque jornalístico trazia a notícia do fechamento de sua conta no Twitter, pelo apresentador e diretor editor do Jornal Nacional da Rede Globo, Willian Bonner.
Confesso que fiquei confuso, procurando entender se a manchete embutia alguma outra ilação, com relação à vida profissional do jornalista. Relendo verifiquei que não havia novidade alguma, a não ser o fechamento da conta do Twitter.
O primeiro pensamento que me ocorreu foi se a notícia estaria na capa do jornal, caso o profissional da Globo tivesse deixado o jornal que ele e a esposa apresentam no horário nobre da TV, em vez do miniblog Twitter.
Penso que não! E você?
É incrível a visibilidade que o jornalista alcançou no twitter em algumas semanas, agregando fatos, fotos e relatos de sua vida pessoal e detalhes desconhecidos do Willian Bonner profissional, o que não conseguiu em mais de uma década, em um dos programas de maior audiência da TV brasileira, com a consequente repercussão dessa permanência no ar, - no melhor horário da líder de audiência - nos outros veículos da mídia, como revistas, rádio e TV.
Trabalho há muitos anos com internet, desde quando a rede mundial engatinhava com a lentidão das conexões discadas, no final dos anos 90, quando iniciei a usar esta ferramenta nas minhas atividades profissionais. Em todo esse período nunca tive dúvidas do potencial de crescimento da mídia internet - mesmo quando ela era desconhecida da maioria dos brasileiros - e da inevitável utilização da rede mundial de computadores, em todos os setores da vida das pessoas.
Entretanto, me surpreende o potencial jornalístico do fato, a ponto da notícia do fechamento de uma conta em um site de relacionamento virar capa de um dos diários mais lidos no país.
O que estará por trás desse fenômeno? Estaremos na sala de espera da supremacia absoluta da internet sobre as demais mídias, ou as pessoas simplesmente estarão mais interessadas no dia-a-dia, nas questões pessoais de outros seres, do que nos conteúdos noticiosos de sua cidade, de seu país, do mundo?
Deixe sua opinião como comentário!

TaVar
taddeu vargas

24 abril 2010

Foco no Invisível

taddeu vargas
O sentimento não é físico, logo é invisível! Pelo menos enquanto permanecerem vigentes os paradigmas visuais atuais. Parece evidente e sem importância, prefácio de mais uma viagem do marujo maluco que assina a presente.
Parece, mas não é!
Veremos agora porque, continuando o raciocínio da crônica anterior (se você chegou agora, seria importante parar aqui e ler o texto "Você é Você", abaixo), cuja expressiva audiência de visitantes, com ou sem comentário, desde já agradeço.

Quem nos vê, pessoalmente, enxerga nosso físico. Quem nos lê, "enxerga" nossos pensamentos, nossos sentimentos.

Minha tese é de que nos dois casos a leitura não é a mesma. Logo, não somos o que pensamos e sentimos, certo? Ou será apenas um jogo de palavras? Ajudem-me!
Se minha teoria estiver correta, estamos, para usar uma linguagem naval, remando a favor da correnteza,... direto para a cachoeira!
A questão é de foco! (eta palavrinha que vai gastar)
Sim, é da nossa cultura ocidental focar o corpo e o ego! Esta dupla errante é responsável por quase toda a nossa atenção, sendo que a segunda não nos larga nem durante o sono, nos sonhos.
Só para lembrar, a outra maneira de nos ver, enxerga um ser maior, mais antigo, mais sábio, mais feliz. Só que é invisível para nossos olhos humanos atuais. Se juntarmos isto à nossa tendência a prestarmos atenção no que está mais acessível, entenderemos melhor nossa cegueira espiritual.
É por isso que no mundo virtual parecemos outra pessoa. O redator de nossos textos, frases, devaneios... é o coração. Não aquele pedaço de carne soluçante que habita nosso peito físico, mas a luz branca amorosa e infinitamente inteligente que o envolve e que comanda todo o nosso ser maior.
Tenho uma dica pra ti meu leitor. Se você começar a se ver no seu dia-a-dia, mesmo nas coisas mais simples da sua rotina, como um ser complexo, maior, do qual o corpo físico e o ego são apenas partes integrantes, e menos importantes, terá dado um passo decisivo para começar a assumir uma postura única perante todas as circunstâncias da vida.
Claro que é difícil, inusitado, diferente, mas focar o invisível é a saída, ou a chegada!

TaVar
taddeu vargas

21 abril 2010

Você é você?

O mundo virtual criou novos eus, pois nos apresentamos nele de um modo diferente do que somos na vida real. Aqui nos sentimos despidos de nossos compromissos com as verdades do mundo das células, moléculas, etiquetas, aparências, posturas... poses!

Os paradigmas da sociedade humana, os preconceitos de nossos familiares e amigos, os pensamentos e conceitos de vida de nosso(a) parceiro(a), as manchetes de jornais e revistas, a moda, constroem um ser que talvez não exista e apenas tenha sido criado por nós, em função destas circunstâncias.
É como se vivêssemos sempre numa saia justa, adaptando nossos quereres, em função da roupagem sob medida imposta pela cultura vigente ao nosso redor.

Aqui no mundo virtual, notadamente na blogsfera, somos conhecidos pelo que pensamos, não pelo que somos. Ao contrário, na vida real, as pessoas se conhecem, mas não sabem o que as outras pensam.

Há algum tempo atrás, um amigo me confidenciou que, após ler textos que sua mulher escrevera em seu blog, foi pra casa ver se conseguia reconhecê-la.

Quem desses dois somos? Seria o caso do eu do mundo virtual ser mais real do que o eu do mundo de verdade? Se for assim, você é um personagem na vida real e é você próprio no mundo virtual. Está longe de ser um jogo de palavras, ou um mero devaneio de um marujo maluco numa manhã de sábado.

Preste atenção em quem você é na frente das pessoas, no seu dia-a-dia, e compare com você sozinho(a) na frente do computador falando de si num post, ou mesmo contando o que está sentindo para uma pessoa que nunca viu pessoalmente, num site de mensagens instantâneas, ou numa sala de chat. Manjou a diferença?

Pois é! E agora, o que fazemos com isso? No próximo post falaremos de como conciliar esses dois eus, de modo a criar um ser inteiro, único, transparente, livre, evoluído, feliz.

TaVar

16 abril 2010

No Meio da Vida



Hoje vamos falar da vida terrena. Mas como de costume, do meio pra frente, o texto viaja por outros mundos. Às vezes parece tudo a mesma coisa, mas isto é história pra outra crônica. O assunto desta é a data (16 de abril), que marca a metade da trajetória deste marujo, aqui nesta vivência terrestre.

Não sei quando foi, mas não faz muito tempo que descobri a data da minha partida deste mundo, ou que inventei, não importa. O importante é que está marcada. Depois da definição tudo ficou mais fácil.

O planejamento se viabiliza quando se tem um termo final. A partir dele, fica fácil estabelecer prioridades, agendar tarefas de início, meio e fim, enfim, desenhar as imagens que vão compor o caminho, como as paisagens, outdoors, personagens e demais componentes da estrada da vida, neste caso, da minha vida.

Engraçado, dirá você! - Você mesmo! Ou será que tem mais alguém aqui nesta parte do texto além de eu e você? - Sendo hoje dia de comemorar a vida, esteja eu falando de morte!

Bem, temos que recuperar alguns conceitos de posts anteriores para entender bem isso. Num deles tem uma frase que marca muito minha idéia sobre morte física: “A vida é o eterno alento, do qual a existência terrena é um evento!”


Do meu ponto de vista, os três dias mais importantes da minha vida (terrena) são: o dia da minha partida (o mais importante deles), o da chegada (nascimento) e o dia de hoje - o meio da minha vida! Nesta ordem!
O dia da chegada a gente escolhe antes de nascer, o da partida, podemos e devemos escolher durante o percurso. O meio da vida é uma escolha da matemática, uma simples operação aritmética.

Entendeu porque o dia da partida é o mais importante dos três? Ele é fruto do seu processo de entendimento da vida, que se faz no modo consciente, a bordo do corpo físico e da mente humana. É você quem decide, através de seus atos, pensamentos, sentimentos.

Sua evolução como ser espiritual, vestindo o ser físico que você é, aqui no planeta, determinará quando você vai partir.

A grande vantagem da meia idade é saber como terminar bem uma jornada da vida, ao contrário da primeira parte dela, que deixa a impressão de não sabermos bem como chegamos até aqui. Os jovens não lidam bem com essa idéia, pois entendem que a melhor é a que estão vivendo. Mas o Universo é compassivo e dará chance a grande parte deles, de mudar de opinião.

Amanhã será meu primeiro dia na segunda metade. Um renascer! No entanto, diferentemente do nascimento anterior, carrego agora todas minhas impressões da existência até aqui. É um banco de dados imenso depositados na memória, que serão utilizados, junto com as informações do Teddy (meu ser interior), na seqüência da minha existência aqui na terra.

TaVar

14 abril 2010

Você, Escritor!

taddeu vargas
O site do livro Cem Crônicas está pronto e esperando uma visita sua. O livro será escrito a muitas mãos, pois conterá 90 crônicas minhas, algumas delas que constam deste blog e outras 10 (completando as 100) de colaboradores, co-autores (seriam 95x5, mas alteramos para abrir espaço para mais co-autores). Se você desejar participar do livro com uma crônica acesse o site www.cemcronicas.com.br  e informe-se na página "Participe" sobre o perfil e formato do texto. O livro irá para as bancas na metade deste ano. No site você encontrará todas as informações sobre o livro, inclusive uma cópia da capa em tamanho natural.

Taddeu Vargas
taddeu vargas