19 maio 2010

Janelas

taddeu vargas
Bom dia! Você já abriu a janela de seu quarto hoje? A janela do quarto, normalmente, é nosso primeiro contato com o mundo exterior. Até para saber como está o tempo e como devemos nos vestir para sair à rua.
Mas não é apenas esta janela que abrimos durante o dia. Quando abrimos a agenda descortinamos nossos compromissos de trabalho e outras responsabilidades que esperam ações. A tela do computador é a janela que abre um mundo novo, quase sem limites, onde desfilam os componentes de um espaço virtual que, a cada dia que passa, ocupa mais horas do nosso dia.
Eu abri a janela de meu quarto às 5h58. O dia se preparava para começar. No mar já se notava o clarão do Sol a marcar a linha do horizonte, prestes a entrar em cena, inaugurando a atividade humana, o corre-corre, a frenética luta pela sobrevivência.
Há alguns anos atrás eu descobri uma outra janela, que acabou por mudar muito a minha vida. Mudei minha rotina por causa dela. Todos os dias, bem antes do sol nascer eu abro esta janela e acesso um mundo ainda maior que a rede mundial de computadores.
A cultura oriental abriu essa janela muito antes do que a ocidental, o que pode ser notado nos costumes, na alimentação, no perfil religioso e agora na crescente supremacia das nações asiáticas no cenário mundial.
A janela interior dá acesso às outras dimensões do nosso viver. Foi de lá que viemos! E para lá voltaremos, pois nosso habitat atual é provisório, impermanente, precário, ou, como no dizer do Mestre "Estamos aqui não por acaso, mas de passagem!"
Ao abrir esta janela encontramos alguém que nos conhece muito bem. Foi por decisão dele que chegamos até aqui! Ambos dependem desta estada para que o conjunto alcance seus objetivos: liberdade, evolução e felicidade!
Nosso eu interior, que habita o território que esta janela esconde, deseja que ela se abra, permitindo nossa entrada no mundo real, na verdade espiritual da vida, para juntos, daí em diante, seguirem o caminho da iluminação, da compreensão, do entendimento, da compaixão, da tolerância, da liberdade, da evolução, da felicidade... do amor!

Ps. Post republicado a pedido

TaVar
taddeu vargas

9 comentários:

Márcia Vilarinho disse...

Tadeu, que lindo e verdadeiro o teu texto. Também aprendi muito sobre essa janela, mas antes tive que vencer o muro que me limitava a visão. Muito bom ler o que a sua alma escreve. Abraços. Márcia Vilarinho

Tânia regina Contreiras disse...

É a grande janela que descortina de fato novos horizontes; a janela interior!

Abraços,
Tânia

Tanani Avello disse...

É a janela do coração que nos mantem em contato com o essencial para vivermos com a paz interior e divina.

Abraço.

Maria Emilia Xavier disse...

Perfeito...Se não nos "acordamos" nada acontece.

Jenny Paulla disse...

olhar-se pra dentro:que lindo jeito de se encontrar.
=D

Zane BZZ disse...

Budismo,cristianismo,taoismo,hinduismo...a minha trajetória incluiu diversas filosofias...e a janela foi se abrindo aos poucos...enfim, depois de conhecer o mar de dentro, ficou difícil aceitar apenas uma gota...

Paula Betzold disse...

Adorei!!! Abrindo a nossa janela, teremos sempre a paz que necessitamos, e encontraremos a felicidade!!!
beijos, adorei conhecer seu blog!

Françoise disse...

Tadeu, que show de post. Fui lendo e refletindo minha vida nele, pensando em cada momento muito bem descrito por você. Grata!

Abraços

Helly disse...

Querido Taddeu,
A viagem que conseguimos ao acessar essa janela é transformadora.
Obrigada mais uma vez pelas oportunidades de estar me conhecendo melhor.
Gratidão imensa,
Helly