24 abril 2010

Foco no Invisível

taddeu vargas
O sentimento não é físico, logo é invisível! Pelo menos enquanto permanecerem vigentes os paradigmas visuais atuais. Parece evidente e sem importância, prefácio de mais uma viagem do marujo maluco que assina a presente.
Parece, mas não é!
Veremos agora porque, continuando o raciocínio da crônica anterior (se você chegou agora, seria importante parar aqui e ler o texto "Você é Você", abaixo), cuja expressiva audiência de visitantes, com ou sem comentário, desde já agradeço.

Quem nos vê, pessoalmente, enxerga nosso físico. Quem nos lê, "enxerga" nossos pensamentos, nossos sentimentos.

Minha tese é de que nos dois casos a leitura não é a mesma. Logo, não somos o que pensamos e sentimos, certo? Ou será apenas um jogo de palavras? Ajudem-me!
Se minha teoria estiver correta, estamos, para usar uma linguagem naval, remando a favor da correnteza,... direto para a cachoeira!
A questão é de foco! (eta palavrinha que vai gastar)
Sim, é da nossa cultura ocidental focar o corpo e o ego! Esta dupla errante é responsável por quase toda a nossa atenção, sendo que a segunda não nos larga nem durante o sono, nos sonhos.
Só para lembrar, a outra maneira de nos ver, enxerga um ser maior, mais antigo, mais sábio, mais feliz. Só que é invisível para nossos olhos humanos atuais. Se juntarmos isto à nossa tendência a prestarmos atenção no que está mais acessível, entenderemos melhor nossa cegueira espiritual.
É por isso que no mundo virtual parecemos outra pessoa. O redator de nossos textos, frases, devaneios... é o coração. Não aquele pedaço de carne soluçante que habita nosso peito físico, mas a luz branca amorosa e infinitamente inteligente que o envolve e que comanda todo o nosso ser maior.
Tenho uma dica pra ti meu leitor. Se você começar a se ver no seu dia-a-dia, mesmo nas coisas mais simples da sua rotina, como um ser complexo, maior, do qual o corpo físico e o ego são apenas partes integrantes, e menos importantes, terá dado um passo decisivo para começar a assumir uma postura única perante todas as circunstâncias da vida.
Claro que é difícil, inusitado, diferente, mas focar o invisível é a saída, ou a chegada!

TaVar
taddeu vargas

32 comentários:

Vanessa Souza Moraes disse...

Quem nos lê pode se equivocar também. A leitura depende dos olhos do leitor - ele pode entender muito o que o autor quer dizer, ou nada, rs.

Bacana, volte sempre ao divã ;)

Tânia regina Contreiras disse...

Marujo, eis aí uma boa dica: esse cuidado no olhar diário, sair do automatismo e compreender que somos tão mais do que aparentemente somos!

E, sim: o coração é essa luz branca, não o órgão físico... Garotinho, gosto muitíssimo da sua escrita, sabe? Para usar uma variante linguística bem popular: VICEIA!!! rsrs

Abraços

Elaine Barnes disse...

Muito interessante seu texto. Por isso tenho procurado conhecer meus amigos virtuais. No mundo real por sintonia, estamos interligadas e desenvolvendo a amizade absolutamente de grande valia e aprendizado. O ego quando trabalha contra nóas é irritante,mas, quando entende as mensagens da nossa alma,desliza com novos valores adquiridos. Adorei os devaneios,muito valorosos. Montão de bjs e abraços

ValériaC disse...

Taddeu querido, não sei medir o quão distante está minha imagem exterior, do meu interior...penso que cada pessoa que me vê ou que me lê, fará sua própria leitura. Mas posso lhe afirmar que apesar da consciência de eu ser um todo, valorizo infinitamente mais o meu interior, meus pensamentos, sentimentos, minha espiritualidade.Claro que cuido do exterior, que também tem sua importância,mas, o invisível me é fundamental e eu invisto pesadamente nele e isto me faz verdadeiramente feliz.
Lindo final de semana amigo...
Beijos...

Canteiro Pessoal disse...

Interessante seu espaço!

Priscila Cáliga

SORAYA.SENTIMENTOS.REFLEXAO.DESABAFOS disse...

OI MARUJO QUERIDO!
SUA PRESENÇA NO MEU CANTINHO, SEMPRE ME ENCHE DE FELICIDADE VIU! OBRIGADA PELO CARINHO.
APROVEITO PRA MAIS UMA VEZ DIZER QUE O SEU BLOG TÁ MUITO BOM...TEXTOS QUE REALMENTE NOS LEVAM A PENSAR.
ESSES DOIS ULTIMOS MOSTRAM DE FORMA CLARA, QUE SEMPRE PODEMOS SER MELHORES DO QUE NOS APRESENTAMOS. DENTRO DE NÓS EXISTE TESOUROS...E QUANDO ESCREVEMOS COLOCAMOS ''ELE NO COMANDO'', ENQUANTO NO DIA-A-DIA, NOS DEIXAMOS INFLUENCIAR PELO EXTERNO, QUE NAO É NADA BOM,NÓS SABEMOS.
O MELHOR MORA DENTRO...
VENHO AQUI SEMPRE E GOSTO MUITO DO MARUJO QUE LEIO.
OBRIGADA ,
SORAYA

TAIZA RENATA disse...

"O redator de nossos textos, frases, devaneios... é o coração."
É exatamente isso.
Daí vem a necessidade de nos focar em nossos corações, porque ele carrega as verdades e as repostas que tanto precisamos, porém por falta de foco, nos perdemos pela vida.
Bom domingo!

Helly disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Helly disse...

Taddeu,
No irreal, mostramos o que pensamos e sentimos, sem colocar as marcas que temos guardado no físico.
No real, já mostramos o que somatizamos no físico e isso é inegável.
Sinto isso em relação aos quilinhos que ganhei, e que me desequilibraram, os quais sempre olhando no espelho digo: ESTOU ASSIM, MAS NÃO SOU ESSE CORPO.
Isso tem mexido demais comigo, pois tenho desenvolvido uma insegurança entre quem SEI QUE SOU REALMENTE e COMO ESTOU FISICAMENTE.
Esse FOCO NO INVISÍVEL, é mesmo o amor que tenho por mim e pelas pessoas, o amor é invisível aos olhos.
Quando amamos realmente vemos com lentes de aumento o melhor do outro, e os defeitos compreendemos e aceitamos.
Obrigada por mais esse momento terapêutico virtual contigo.
Paz profunda,
Helly

Ana disse...

Oi!Acabo de descobrir(invadir?)o seu blog!...Rsssss
Estava tomando coragem pra enfrentar novamente o leão (é, ainda não acabei a declaração!...)quando li o seu texto...PARABÉNS! Sabe, creio que há um EU além do corpo (e do cérebro...). Mas tb queria deixar umas palavras de Octavio Paz, pra reflexão:
"Enquanto vivos, não podemos escapar das máscaras e dos nomes.Somos inseparáveis de nossa ficção_nossos traços. Estamos condenados a inventar uma máscara para,mais tarde, descobrir que a máscara é a nossa verdadeira face".
Beijos e Abraços

Aline Schons disse...

Olá, Taddeu! Concordo com o que tu disseste. Quando escrevo em meu blog, por exemplo, escrevo de coração, é possível conhecer muito de mim através daquelas linhas. Porém, quando converso com alguém em um chat, nem sempre faço tal exposição, mas ainda assim acho que tu tens razão, pois de qualquer forma, independente da minha abertura com quem falo, o que sou realmente vai se revelar ou pelo menos parte do que eu sou, como eu disse no comentário anterior.

Enfim, a ideia de focar no invisível é ótima e mudaria muita coisa nesse mundão, se as pessoas conseguissem aplicar um olhar diferenciado com mais frequência. Beijos!

Eliane Accioly disse...

Concordo com voc~e, é um jeito diferente de estar e experimentar.
Adorei sua visita!
Um abraço,

Eliane

Ana disse...

PS:
Também questiono se podemos falar de um EU cristalizado ou de múltiplos EUs numa única pessoa...
Bjs!

Angel disse...

É sempre um prazer ler suas escritas! Em minha modesta opinião, o físico pode refletir o espiritual, e não me refiro apenas a beleza, mas também aos gestos, olhares, sorrisos. Mas é possível uma pessoa linda ser por fora sem o ser por dentro, assim como é possível ser alguém fora dos padrões e dos mais lindos pensamentos e sentimentos.

Somos complexos demais para cabermos em definições, assim como somos absurdamente pequenos para reconhecer o que realmente importa. Mas, aos poucos, cresceremos.

Gostei muito do post!

Abraços!

Ana Lúcia Porto disse...

Oi Tadeu,

Concordo com quem disse que a leitura de quem nos lê pode ser errônea ou errarmos ao "ler" o outro.

Mas, sem dúvida, quando conseguimos nos ver e sentirmos em nossa totalidade, vamos ter prazer, vamos nos sentir melhor, mais valorizados, justamente, porque passaremos a ter acesso a todas as nossas ferramentas com mais facilidade (a inteligência poderá ser direcionada, com mais eficiência, vamos usar de nossos conhecimentos e experiências, de nossa educação, sapiência etc...) para podermos nos corrigir e amadurecermos. E, dessa forma, sermos felizes...

Beijos e boa semana,

Reflexo d Alma disse...

Estou chegando, vou ver
o post anterior e volto
pra comentar.
Linda semana!
Ah sim. Vou adorar que passe
la no meu canto .
Bjins entre sonhos e delírios

"Mas o abraço era tão apertado,
tão apertado
que os corpos eram quase mais que colados.
Poderia dizer que eram um só."

c i n t i a disse...

Olá, tadeu, muito obrigada pelos elogios ao meu blog. O seu tb é muito bom e sempre passeio por aqui.

Forte abraço e muito obtrigada!!!!

Cintia
~blog da sibucs~

Antônia Maciel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Minhas Pinturas disse...

Quando comecei a focar minha alegria diária, desde o momento que acordo, nas menores coisas nas sem importância aparente, mas fundamentais.
Como abrir os olhos e ver que amanheceu e você enxerga, pisar e você sentir seus pés e saber que anda com eles...Vai por aí, o fato é que quando você se alegra com essas "pequenas grandes coisas" seus valores mudam desliga-se o automático e deixa-se o coração falar mais alto.
Amei seu texto.
Abraços, Léah
http://paituraartesanato.blogspot.com

Michelle Crístal disse...

Olá Marujo, eu como sempre atrasada, obrigada pela visita, tudo depende dos olhos de quem lê, assim como dos olhos de quem vê! Sentimentos, se os deixassem fluir , eu iria a deriva, me afogaria a mares, estacionaria nas ilhas isoladas! Amei volte sempre, sempre abordo!XP

Geisa Machado disse...

Oi Taddeu!
Nós somos o que pensamos e sentimos. O problema é que a sociedade em que vivemos valoriza demais o externo (a aparência), somos cobrados para agir assim, e não conseguimos ser o que realmente gostaríamos. É por isso que no mundo virtual, muitas pessoas usam pseudônimo, aí ficam a vontade para se colocarem sem se expor.
O ego é uma parte do aparelho psíquico que faz a mediação entre as nossas necessidades internas (que vc coloca como invisível) e as exigências externas. Não podemos dar mais atenção para uma ou para outra. O grande exercício é atender as duas equilibradamente. Quem tem um ego inflado só atende as próprias necessidades e quem tem um ego enfraquecido atende as necessidades dos outros.
Corpo, ego e espírito são igualmente importantíssimos, porque todos são partes de nós. Quando vivemos atendendo as necessidades de cada um deles, em harmonia, isso nos torna inteiros, porque não mutilamos nenhuma das nossas partes. Agora meu amigo, este é o grande mistério da vida. Porque como humanos este é um exercício para a vida toda.
Bjusss

Roselaine Funari disse...

O que importa é o modo que a pessoa se vê. Como os outros a vêem é problema deles. São muitos olhares e de todos os tipos e intenções. Cada um é reflexo do seu dentro. Quando se escreve não necessariamente estaremos confessando nosso interior. Muitas vezes nos colocamos no lugar do outro e expressamos o que não somos e nem se quer vivemos. Mora aí a grandiosidade da escrita... a multiplicidade do ser... a possibilidade de viver em outros e ser ambíguo.

Quando o escritor diz: "estou só", esta primeira pessoa pode não ser ele, nem seu este sentimento.

Na minha opinião o foco, ao ser e ao escrever, deve ser visível no dentro, intencional e não obrigatoriamente verídico. Assim , a meu ver, pode este teu post expressar uma dúvida que não tenhas.

Gosto daqui.

,)

Malu disse...

Bom dia, amigo
Tanto virtualmente quanto pessoalmente, o essencial sempre será visível, somente, ao coração...
Assim dizia o principezinho.
Bela e intrigante postagem.
Beijinhos

Nancy disse...

Na vida é mesmo necessário ter olhos no coração também!
Bela reflexão!

Eu Reflexo d'Alma e Meus Reflexos disse...

Vou ler com calma seu post
e volto pra comentar.
Me aguarde.
Bjins entre sonhos e delírios

A carne ferve
Os olhos fecham(...)
E tudo explode(...)

David disse...

Oi!
Analisando os comentários,surgem algumas interrogações.Sim,concordo com Vanessa,a leitura depende dos olhos do leitor...do mesmo modo,pergunto:e o autor,haveria relação entre a forma como ele se vê e a realidade?Aliás, o que é o real? Penso na frase do Cazuza "Mentiras sinceras me interessam".Assim, as nossas ficções, por mais fantásticas que pareçam, não mostrariam um bocado do que somos em nosso interior(nesse ponto, concordo com as palavras de Octavio Paz,citado por Ana.

Mariana disse...

O q sentimos "fica escondido" a menos que demonstramos estes sentimentos.
não é visível, mas pode ser sentido.

Tatazinha disse...

Olá Taddeu, vim retribuir a visita! Estou te seguindo tb! Obrigada pelos elogios ao meu blog! Ele é feito com mto carinho! Adorei o texto, esse e o de baixo! Vc é um ótimo escritor! Parabéns!!! Bjus
Tatá

http://tatazinha-maisdemim.blogspot.com

Maria disse...

Amigo, excelente texto, o corpo é apenas um envolucro, o importante é o nosso Interior, o nosso Eu e muitas vezes essa nossa faceta nós não damos a conhecer, outras vezes damos mas não é comprendida.
Penso que o principal é nós nos tentarmos conhecer a nós próprios.
Obrigado pelas suas doces visitas.
bjs
Maria

Jacque disse...

Beijo

TAIZA RENATA disse...

Eu diria que o sentimento é corpo, alma e coração. Portanto, ser visível ou invisível é questão de cada um querer expor o que por dentro explode.
É tudo uma questão de aceitação de si mesmo e coragem de querer ser quem você realmente é.
Bjs.

Eliane Accioly disse...

Adorei blog e textos, "Vejo" e vivo em sintonias parecidas. Obrigada Pela visita, tb sou nova na NET.

Um abr,

Eliane