21 abril 2010

Você é você?

O mundo virtual criou novos eus, pois nos apresentamos nele de um modo diferente do que somos na vida real. Aqui nos sentimos despidos de nossos compromissos com as verdades do mundo das células, moléculas, etiquetas, aparências, posturas... poses!

Os paradigmas da sociedade humana, os preconceitos de nossos familiares e amigos, os pensamentos e conceitos de vida de nosso(a) parceiro(a), as manchetes de jornais e revistas, a moda, constroem um ser que talvez não exista e apenas tenha sido criado por nós, em função destas circunstâncias.
É como se vivêssemos sempre numa saia justa, adaptando nossos quereres, em função da roupagem sob medida imposta pela cultura vigente ao nosso redor.

Aqui no mundo virtual, notadamente na blogsfera, somos conhecidos pelo que pensamos, não pelo que somos. Ao contrário, na vida real, as pessoas se conhecem, mas não sabem o que as outras pensam.

Há algum tempo atrás, um amigo me confidenciou que, após ler textos que sua mulher escrevera em seu blog, foi pra casa ver se conseguia reconhecê-la.

Quem desses dois somos? Seria o caso do eu do mundo virtual ser mais real do que o eu do mundo de verdade? Se for assim, você é um personagem na vida real e é você próprio no mundo virtual. Está longe de ser um jogo de palavras, ou um mero devaneio de um marujo maluco numa manhã de sábado.

Preste atenção em quem você é na frente das pessoas, no seu dia-a-dia, e compare com você sozinho(a) na frente do computador falando de si num post, ou mesmo contando o que está sentindo para uma pessoa que nunca viu pessoalmente, num site de mensagens instantâneas, ou numa sala de chat. Manjou a diferença?

Pois é! E agora, o que fazemos com isso? No próximo post falaremos de como conciliar esses dois eus, de modo a criar um ser inteiro, único, transparente, livre, evoluído, feliz.

TaVar

21 comentários:

Tânia regina Contreiras disse...

Nossa, é isso mesmo!!! Outro dia alguém "me leu" e comentou exatamente isso: "Puxa, não conhecia essa sua faceta, a que li no seu texto...". Repondi que SINTO assim. Mas, pelo jeito, não me MOSTRO assim. SER o que se SENTE: eis onde se encontra o abismo, talvez? Muito bom post!

Abraços

SANDRA NABUCO disse...

Olá Tadeu!
Que bom saber que você gosta do que escrevo!
Seja bem vindo ao meu blogspot!
Posso te garantir que sou exatamente do jeito que me descrevo e escrevo aqui!
Pessoas que fazem uma 'imagem',serão assim sempre!
No real e no virtual!
Conheço pessoas que fazem 'imagem' aqui do meu lado,no meu dia-a-dia.
Essas com certeza,serão as mesmas,atrás da tela do computador.

Real ou virtual,temos que saber usar nossa intuição,para discernir o que é bem e o que é mal...
Tudo de bom para você,nesse seu feriadão!
Beijinhos e fica com a luz,a paz,a saúde e a sorte!

Silvia C. Barbosa disse...

Olá!

Já me perguntei isso algumas vezes, será que também temos coragem de nos ver como de fato somos? Quantos de nós mentimos para nós mesmo? Quanto aqui são aquilo que queria ser?
Post adorável. Uma confissão: Prefiro ser quem sou aqui.

Beijos

Aline Schons disse...

Muito já refleti sobre isso, mas em resumo, penso que sou o real e o virtual, a mistura dos dois. Parte de mim talvez só se revele atráves destas e de outras páginas, mas ainda assim é parte de mim.

Abs!!!

Liila disse...

Oi...Será possivel que faremos um dia alguem nos reconhecer???
Acredito que isso é algo impossivel. Somos o que queremos ser, dependendo do momento...nada estatico, certo?
Amei o texto como sempre muito bom!!!
Bjs

Antônia Maciel disse...

olá Tadeu!
Sabe que é mto bom estar no seu blog,a sua colocação é tão presente
que me faz sentir o ser que sou e não estes eus que nos ataca a cada segundo.
Bjs

Zen disse...

Na verdade o Montanha das Nove Flores é um livro aberto, é um blog família. Sempre fui uma pessoa sincera em todos os sentidos e situações, na blogsfera ou na real. Me mostro como sou, sem máscaras (apesar de gostar muito delas).Muitas vezes até me bato de frente com as pessoas,provocando,instigando, mas simplesmente só para conhecer mais de perto suas idéias . Não me arrependo de nada quando sinto que tenho razão.Amei o seu post é bem polémico e muito interessante,o tema promete...
Forte abraço,bjs Sandra.

*Mi§§ §impatia* disse...

Nem sempre conseguimos demonstrar quem realmente somos, e com as palavras fica mais facil de nos soltarmos.
beijos.

Taddeu Vargas disse...

Olá Tânia Regina, muito obrigado pela visita e por seguir meu blog. Você é muito bem-vinda!
Muitas vezes estamos "próximos" demais de nossa personalidade humana, em relação ao que nos cerca.
No devaneio, na meditação, ou quando falam mais alto nossos sentimentos, conseguimos mostrar um outro eu, mais real, mais iluminado, mais verdadeiro.
Abraço forte!

c i n t i a disse...

É verdade e isso acontece pq as pessoas não estão satisfeitas com o que elas são verdadeiramente e por isso criam um "avatar" e vivem esse mundo virtual como se fosse real.
Mas o pior vem depois, qdo caem na vida real e descobrem que nada daquilo que imaginam é verdade.
São pessoas que nem sempre se aceitam e por isso vivem vidas incompletas.

Adorei seu post.

Abçs
Cintia

Cristiano Contreiras disse...

Pois é, pessoalmente, nem sempre, conseguimos demonstrar o que verdadeiro somos - eu mesmo costumo dizer que que eu escrevo melhor que eu eu expresso verbalmente...nunca consigo me expressar totalmente e nem dizer tudo que sinto, a escrita já me permite essa plenitude.

Eu escrevo mais, uso mais minha criatividade.

Muito bom o post, sigo seu blog! abs

Denise disse...

Chegamos, Marujo...eu e minhas elucubrações...rs

Dizemos pouco revelando o que sentimos. É verdade. Existem palavras que "nos contem" na íntegra - ou nos contenham integralmente - será?? Nossa totalidade não é mesmo feita dessas "partes" reveladas (ou percebidas??) e outras desconhecidas - e aqui me arrisco a dizer, por nós mesmos...

A essência do nosso Eu fica visível para quais olhos? do coração? da compaixão? do amor incondicional? e para quem estamos - no virtual mundo - nos revelando? em quem chega nossa "energia essencial"? pq ser quem somos agride alguns e emociona outros?

Além destas questões que me ocorreram agora, penso que é ponderável o elemento mais importante das experiências humanas: a mudança. Não sou quem era há cinco, dez, trinta anos (que bom!...rs), conseqüentemente, sofreram transformações os meus sentimentos, minha visão de mundo e pensamentos. Só posso revelar HOJE aquilo que SOU...o que fui é parte deste jardim...muitas sementes que joguei não vingaram, algumas mal brotaram, e as que deram frutos, me fizeram "outra". Esta é a que está aqui, na vida real e na virtual...rs


Estamos indo embora...rs
Desculpe-nos pela prolixidade (isto já foi pior na Denise anterior...rsrs)
Beijos

Helly disse...

Taddeu querido,

Estou arrepiada com a sincronicidade nossa e que encontro nesse mundo virtual.
Ontem e hoje antes de ler o texto abordava contigo exatamente esses aspectos que penso, sem ter lido o texto.
Existem diferenças na minha forma de pensar,sentir e agir, mas depois de um tempo de amizade e cumplicidade, essa diferença deixa de existir.
Ao menos com vc sinto isso.
Tenho facetas diferentes com as pessoas virtualmente, mas com vc apenas consigo ser EU MESMA NA MINHA TOTALIDADE.
INCRÍVEL ESSA DESCOBERTA HOJE!
Grata por esse momento sublime!!
Namastê!
Helly

ValériaC disse...

Querido Taddeu...é algo bem por aí mesmo. Em meus blogs escrevo muito do que vai no meu Interior... eu o conheço muito bem, ele é o que eu penso, sinto e vivo no meu dia a dia, mas, das pessoas que me leêm e me conhecem pessoalmente,que são poucas, se surpreendem, posso te afirmar que nem a minha própria mãe me conhece inteiramente, ainda que eu tente manter uma conversação com temas parecidos com ela, nem sempre é possível. Eu sempre gostei de temas profundos e nem sempre dá para se conversar do que eu gosto com outras pessoas. Já o meu marido, ele sabe que sou exatamente assim, como nos blogs, mas me elogia, por gostar de ver o jeito que escrevo.E meus filhos, às vezes acham graça quando escrevo algum poema.
Acho que cada um que nos lê, faz uma idéia de como somos...muito a partir de seu próprio referencial também.
Beijos amigo...

Valvesta disse...

Amigo podemos continuar falando no assunto por muito tempo, mas te digo: eu sou tão transparente no meu blog que as vezes me recrimino por deixar escapar meus sentimentos, me expor as vezes me preocupa, sabemos que do outro lado pode e sei que tem pessoas que não entendem, ou queira fazer uso do que sabe de nós, das nossas fraquezas; outro dia recebi uma critica de um abençoado que me arrasou, noutro abri o blog e achei umas coisas num comentário que me envergonhei, em somos nós, que nos escondemos(digo poucos graças a Deus bem poucos) atrás máscaras pra assustar, amedrontar, denegrir, ou qualquer outra coisa feia.
Aqui também temos lindos anjos amigos, desses que temos vontade de beijar e abraçar, dizer-lhe te amo, basta ser do bem, reconhecemos e aceitamos no nosso meio, ñ precisamos sermos hipócritas, fingidos ou usarmos mascara para ser amigos basta abrir o coração e ser sincero.
beijos no coração amigo aceitável.

Mary Caroline disse...

Tadeu vc disse tudo no seu post.. eu até comentei esses dias no trabalho, me expresso muito melhor quando escrevo do que quando falo. Quando escrevo consigo passar tudo o que penso e o que sinto como num desabafo!! Ás vezes agente não consegue passar uma imagem verdadeira no mundo real mas conseguimos no mundo virtual..Gostei muito do seu texto!!

Veronica Rodrigues disse...

Fazia tempo não passava por aqui. e claro, quando passo é de te admirar.
um abraço e um otimo final de semana.

Dayse Sene disse...

Eu sou eu na minha simplicidade...no que escrevo e no que realmente sou, mas não me mostro por inteira, não que eu não queira, mas por saber, que todos nós guardamos mistérios nunca revelados.Eu sou um infinito..sou águia que voa dentro de mim mesma, para desvendar coisas que nem mesma eu sei quem sou. Eu sou eu, quando me revelo, que seja em palavras, em melodias. Eu sou uma eterna romântica, que sei nunca morrerei dentro de mim, pois acho que o amor é algo que nos faz crescer, mesmo "apanhando" da vida e ou de quem está ao nosso redor. Mas eu sou eu,transparente, feliz , mas cheia de mistérios para se desvendar. Esses mistérios de vez em quando vem á tona, feito lavas de furação em erupção, incontroláveis, mostrando o eu interior,oculto, mas que não deixa de ser o meu eu externo, e que muitas vezes precisa ser como"camaleoa", para soltar o eu, que como você disse muitas vezes fica oculto diante da cobrança da sociedade. Mas eu sou eu.com todas as minhas mudanças. Real ou virtual serei sempre, uma eterna romântica.
Muito bom seu texto, lendo-o, podemos refletir realmente quem somos nós.E eu conclui, que sim eu sou eu em toda a minha plenitude, que seja Dayse Sene real ou virtual, gosto de ser bem transparente e poder mostrar a minha essência.
Obrigada por tão lindo texto.

TAIZA RENATA disse...

Oh, meu querido!
Obrigada mais uma vez por suas palavras carinhosas em meu blog.
Sempre que tenho tempo, também "viajo" pelo seu e fico feliz por ver quantas verdades existem nos seus textos. Esse então...
Confesso que procuro ser sempre eu mesmo, escrevendo o que sinto, falando o que penso, sem me preocupar muito com julgamentos alheios. Olha! Você não sabe o trabalho que isso dá! Rsrsrs... Por isso, acho que as pessoas preferem vestir as máscaras no dia-a-dia, para terem alguns momentos de paz, afinal, assim é bem mais fácil.
Eu... tô nem aí. "Falem mal, mas falem de mim".
Beijos. Bom feriado!

Felipe disse...

Tenho pensado muito nisso. A medida que me aprofundo na blogosfera e nas relações virtuais, tenho notado que as pessoas percebem como eu sou muito rápidamente. Parece que estamos conversando de alma para alma. Isso as vezes me assusta...

Que blog bom, cara! Vou te adicionar agora! Um abraço!

Patricia Scarpi disse...

Olá Taddeu, gostei muito do seu blog.
Adorei esse post, não havia pensado a respeito disso. A internet tem esse "poder" de passar aquio que a pessoa não é junto de seus amigos e familiares.
Mas o meu humor e personalidades são exatamente o que eu expresso no meu blog,rrsss.

Um grande Abraço