25 dezembro 2010

Natal


Quando eu era criança adorava a chegada do Natal, pelos presentes que certamente receberia de meus pais, parentes e amigos próximos, mas não só por isso. Lembro que sentia uma emoção diferente, invulgar, com o ritual com que minha mãe preparava a casa para, segundo ela, comemorar o nascimento do menino Jesus.

O Papai Noel era coadjuvante no natal da minha infância, tanto que não lembro de nenhum brinquedo em especial que tenha ganhado, mas jamais esquecerei o clima de expectativa, exaltação e alegria que habitavam os meus meninos dias de dezembro.

Meus filhos, por um acordo antigo com minhas ex-mulheres, passam o Natal com elas e o reveillon comigo. Por isso, quase sempre passamos a noite de 24 de dezembro junto com os familiares do marido de minha irmã, na cidade onde nasci, Santo Antônio da Patrulha, na Região Metropolitana de Porto Alegre, RS.

Este ano, por uma série de circunstâncias, tudo caminhou para que passássemos a noite de Natal apenas nós três, eu, minha mãe e meu pai. O que deveria, a princípio, apontar para uma noite desanimada, sem atração, sem alegria, surpreendeu pela presença de um conteúdo natalino exuberante, que encheu nossa noite de sentido e felicidade.

Tudo começou quando escolhi dar de presente para meus pais um momento, em vez de uma festa. Preparei a ceia, e os servi, de certa forma tentando devolver os tantos natais que minha mãe preparou na minha meninice. Nada de especial no cardápio, do ponto de vista material. O ingrediente extra foi o amor com que a ceia foi preparada, pois, além de meus pais, sabia que estaríamos acompanhados de um convidado especial: seríamos quatro, portanto!

Ele compareceu, para alegria do nosso momentum, nossa ceia da Natal. Na imagem aparecem apenas três, pois eu estava batendo a foto.

Feliz Natal Leitor!

TaVar

11 comentários:

PauloSilva disse...

Há sempre um espirito que nos envolve na época do Natal. Também o sinto mas tento ignorar... Enfim.

Um feliz natal !

Abraço.

Denise disse...

A singeleza de teu post retrata o Natal, verdadeiro e cristão.
Lindo presente Dona Eva e Seu Ari receberam de ti, no entanto, são as colheitas da vida, este teu gesto. Quem sabe educar, tem presentes preciosos para receber.

Sei que meus votos chegaram, então agradeço por transmiti-los e por permitir que estivesse consagrando essa fraterna energia amorosa junto a vocês.
Um beijo com carinho, um ótimo dia pra vocês!

Iris Barcelos disse...

Olá...muito lindo isso que vc escreveu.Feliz natal.Abraços.
Iris Barcelos.

ROSELAINE FUNARI disse...

Feliz!

Helly disse...

Querido Taddeu,

Suas palavras me emocionaram muito.
Quanta amorosidade!!!!!
Graças a Deus, pude também passar o melhor NataL da minha vida: ACEITANDO CADA UM COMO É, SEM EXPECTATIVAS, AMANDO MEUS FAMILIARES, SORRINDO SEMPRE, PENSANDO CARINHOSAMENTE NO ANIVERSARIANTE E SENDO IGUAL ELE ESPERA QUE EU SEJA, COMO MEU PRESENTE DE ANIVERSÁRIO A ELE este ano.
Foi algo mágico, pois essa consciência devemos ter diarimente, é só querermos.
Então com o coração transbordando de amor, te desejo FELIZ NATAL!!! PARABÉNS, JESUS!!! VC RENASCEU DENTRO DE MIM!!! AMÉM!

Patrícia disse...

Tadeu,
Meus pais nunca se importaram muito com o espírito de natal. O foco sempre foram os presentes. Mas, dentro de mim, sempre tive esse envolvimento com o contexto religioso e com o clima da fantasia do Noel.
Aquilo que me fazia falta, pude proporcionar a meus filhos, por felicidade. E ler seu post me remeteu ao dia que contei a meu filho mais velho - já com 13 anos, a verdade sobre Papai Noel. Não sei qual dos dois chorou mais. Mas mesmo esse foi um momento mágico em nossos natais.
Não sei exatamente por quê, mas sua postagem me fez reviver essa emoção novamente. E aquí estou eu chorando feito criança nessa visita a seu blog...

Taddeu Vargas disse...

Olá patrícia!
A magia da emoção dá sentido a vida! Parabéns pela sensibilidade, pelo coração leve que deixa fluir a emoção e pelo mente aberta que deixa dividir os momentos com transparência e liberdade. Feliz Natal amiga querida! Beijo imenso.

Patrícia disse...

No melhor estilo bom velhinho: ho ho ho!!!!....

Maria Tereza Venzke disse...

Olá Taddeu,

Seu post me emocionou...
Nossa família também estava imbuída deste "verdadeiro! espírito natalino, onde a união e o amor foram os presentes compartilhados com o celeste aniversariante. É claro que ainda houve troca de presentes, mas os mais singelos e necessários, fora do apelo comercial c/ que infelizmente esta data foi estigmatizada. Eu sinto que está acontecendo um "resgate" do verdadeiro sentido do Natal...natural para o novo momento cósmico de expansão global da conciência humana.

Um abraço carinhoso

Tereza

Ale Danyluk disse...

Espero que seu Natal tenha sido tão cheio de harmonia e paz como descreveste e que seu Ano Novo seja repleto de sonhos e vibrações inesquecíveis.
Parabéns pela sensibilidade e pelo carinho a todos os seus.

Anônimo disse...

Hey, I am checking this blog using the phone and this appears to be kind of odd. Thought you'd wish to know. This is a great write-up nevertheless, did not mess that up.

- David