09 julho 2011

Uma canção

Eu sempre quis escrever uma canção, mas sempre acabei expondo as minhas bobagens através de crônicas, pseudo-sonetos e outros formatos de textos, sem o compromisso de existirem acompanhados de uma melodia.

Talvez nunca tenha me apaixonado o suficiente, já que o amor funciona como combustível para as manifestações artísticas, de modo que, quanto mais afetada a batida de nosso coração, quando a mente percebe o outro, tanto maior a chance da grande conspiração amorosa Universal nos soprar obras-primas da literatura, da música, da arte, e assim reproduzirmos, na forma material, humana, a beleza e a perfeição das criações divinas.

Mas hoje acordei de uma noite intensamente vivida e inspiradora, e assim vou escrever, e dizer nesta canção que o meu amor pode não ser o maior de todos, todavia é grande o suficiente para escolher lindas sentenças, doces palavras e misturá-las intuitivamente e fazê-las dançar sob os acordes de uma melodia que brota do ser de Luz que me habita e embala a minha vida.

Quem sabe faz sucesso, vira hit nacional e conta e canta os segredos do meu coração, pra toda a nação.


Taddeu Vargas



Um comentário:

Iolanda disse...

Toca a escrevê-la o quanto antes. Considerando o seu estilo de escrita e os seus pensamentos,
será belíssima. Abraços.