20 março 2010

Devaneio da Janela

De volta, mesmo que por uns dias,
À janela de onde vi o verão passar,
Agora assisto o outono chegar!

Entre as duas estações construí textos,
Relações, muito trabalho e algumas paixões.
Uma delas vou poder contar, é só esperar!

Mas, de volta à janela que me fez pensar,
O horizonte que ela descortina fez fundo
Para as minhas frases, enquanto todos iam para o mar,
Colocando o marujo fora do seu lugar.

Dela não vou ver o outono passar,
Pois na minha vida se abre outra janela,
Trazendo as mudanças que ficaram de mandar
Mas lá, sei, não verei o que vi passar por ela.

TaVar

16 comentários:

Leca disse...

Taddeu...
lindas palavras...tem tom de realização...mesmo que a minha janela não mude...meu olhar já não é o mesmo...a paisagem já não é a mesma...
beijo
Leca

Tatiane Lemos disse...

TaVar adorei o seu texto, tmb escrevi sobre janela, por ela vimos muitas coisas mesmo....O que seriam as casas sem janela?

aerrantecaminhante disse...

Tuas palavras me encantam, assim como também as janelas que adoro fotografar por onde quer que eu passe.
Bjo
Yoyo

Rosângela K... disse...

Boa tarde Taddeu...
Me fez chorar com teu comentário,obrigada de coração!
Tenho passeado em teu blog sempre q posso tbm,mas meu tempo é muito curto,por isso não deixo mensagens...
Assim q eu tiver um tempo mais tranquilo vou deixar mais comentários p/ti...
Um grande abraço...

Não deixe que a vida passe sem que
você tenha voado em busca da
felicidade de ter alcançado
por algum instante o seu sonho!
Por isto recomendo sempre Amar!
Essa é a grande receita p/ uma vida
tranquila...
Um obrigada gigantesco pra vc...
E um ótimo fim de semana pra vc e tua familia!!
Rosângela k...

Driks Barreto disse...

Adoro janelas, com flores ou não sempre queremos ver o que tem através delas!!!
Feliz dia do blogueiro querido,obrigada pelos beijinhos...rs Poutros para vc e tenha um ótimo final de semana!!!!

Elaine Barnes disse...

Digno de aplausos! Tudo muda, a cada estação uma nova paisagem. Assim é a vida.Montão de bjs e abraços de admiração.

ValériaC disse...

Taddeu querido amigo, que lindas palavras marujo... olhar janelas pra mim...é algo muito especial...é o contato com o mundo, com a vida...mesmo que seja a mesma janela...é meu olhar que muda e vê sempre de uma nova maneira...as paisagens...
Beijos...

Maria disse...

Amigo, linda mensagem.
Bom fim de semana.
bjs
Maria

Pérola disse...

Parabéns,amei a sua postagens.
Por alguns erros bobos eu fechei e abri janelas.Hoje mais amadurecida eu as abro a todo instânte,vejo q com essa linha de pensamento os passarinho vivem cantando nos seus beirais me trazendo felicidade constânte.
Um beijo grande.

Maria disse...

Será sempre breve o VERÃO,/
quando há OUTONO no coração./
mas, se o vento traz flores da PRIMAVERA,/
jamais o coração de um marujo/
terá um INVERNO de espera.

Lindo teu poema !!!!!
Bjs - Maria

Luciana disse...

Oi Taddeu
Obrigada pela visita e pelo comentário.
Feliz dia do Blogueiro
Bjs e um excelente fim de semana
Luciana

Patricia Garbuio Bittencourt disse...

Muito lindo mesmo!
Poema suave,cheio de amor e vida.
Bjsss

Taynara.Tah disse...

A janela sempre será a mesma, mas a vista está em constantes mutações.
A própria visão.
Muito lindo!
Sigo você.

Michelle Crístal disse...

Mudo conforme a estação...Quem sabe ela não volte em outro verão!

Antônia Maria disse...

Lendo e sentindo estar nesta janela visualizando o horizonte.....
muita luz

Anônimo disse...

Estamos todos sempre em nossas janelas... alguns so veem o fisicamente perceptivel, outros sentem. Sentir e a visao mais ampla de todas as janelas. O horizongte de quem "sente-ve" e infinito, assim como o amor puro: nao acaba. Belo texto, gostei.