02 fevereiro 2010

Gratidão


Há pouco mais de 18 anos eu recebi de uma pessoa um livro emprestado. Não era presente. O livro tinha até dedicatória feita por quem a havia presenteado. Na falta de um outro exemplar - a edição estava esgotada - ela me entregou o que carregava na bolsa, por entender que minha necessidade de tomar contato com as palavras do autor, naquele instante, era maior que a dela.
O meu momento de vida era dos piores, sob todos os aspectos: emocional, conjugal, profissional, financeiro... Do meu ponto de vista, na época, só um milagre faria com que eu revertesse aquela situação.
À noite, ao deitar-me, peguei-o pela primeira vez em minhas mãos para iniciar a leitura. Naquele momento, a única coisa que eu tinha na vida, era aquele livro.  
Bendita intuição teve aquela mulher, madrinha, mãe de outras vidas, abençoada por Deus com a sensibilidade e a clarividência dos iluminados, ao me entregar a relíquia maior que possuía e que era a única coisa capaz de me tirar da situação em que me encontrava.
"EU SOU é a atividade d'Esta vida. Quando dizeis e sentis EU SOU liberais a fonte da Eterna, Imorredoura Vida, para que ela possa fluir ao longo de Seu curso imperturbavelmente"
Estas palavras do Mestre Saint Germain, nas primeiras páginas de seu Livro de Ouro começaram a redesenhar a vida daquele que segurava aquele livro pela primeira vez.
Conhecer o Mestre deu sentido à minha vida. Experimentar a força magnética das palavras Dele na solução de qualquer tipo de problema, mudou completamente o perfil dos conceitos que até então tinham escrito minha história.
Hoje, passados mais de 18 anos desse mágico encontro, eu vejo que aquele livro era a única coisa que eu precisava ter naquele momento e agradeço a Deus pela maioridade e privilégio desse conhecimento.
De tudo que o Mestre me ensinou, o que mais mudou minha maneira de agir em relação à vida, foi postar-me resoluto e antecipadamente agradecido pela manifestação de meus desejos, como se já satisfeitos, por mais improvável que seja sua ocorrência. 
O livro ficou comigo por cinco anos, indo depois para as mãos de outro, certamente com o mesmo objetivo que veio para mim. "Esqueci" ele sobre um criado mudo de um quarto de hotel da capital paulista, certamente por que outro exemplar estaria à minha disposição com facilidade, ao contrário da pessoa com quem ele deve estar hoje.
Dessa forma penso ter dado seqüência ao gesto de quem me entregou o livro por empréstimo, mesmo que inconscientemente. Achei ser a maneira mais adequada de demonstrar minha gratidão.
MTV
taddeu vargas

8 comentários:

Maria disse...

Oi Marujo,
Nada nessa vida, é "por acaso" e não há encontros casuais
Aí está mais uma prova desse conceito.
Minha história não tem como personagem, um livro mas, uma pessoa que me ensinou a lição da superação e que vale a pena viver.

Parabéns pelo texto-
Beijos de luz

Flor do Campo disse...

Nada é por acaso,como uma flor a bordo do teu barco,me apaixonei pela história!

Beth Cerquinho disse...

Olá novo amigo, não acredito no acaso..tudo tem um motivo de ser.
Gostei muito do seu blog, vim retribuir a viita e estou te seguindo
Bjka e mantenha contato.

Taddeu Vargas disse...

Olá Maria, seja bem-vinda mais uma vez! O Universo, em sua infinita generosidade e sabedoria, sempre acha um jeito de colocar em nosso caminho uma luz, que pode nos guiar até a conquista todos os nossos sonhos. Nosso trabalho é reconhecê-la....e seguí-la! Abraço enorme e volte sempre!

Taddeu Vargas disse...

Olá Flor do Campo, seja bem-vinda ao blog. Muito obrigado e volte sempre! Abração.

Taddeu Vargas disse...

Olá Beth, manterei contato sim. Obrigado pela visita e pelo elogio. O Blog agradece! Abração.

Rejane disse...

Taddeu...
Acredito que na vida nada acontece por acaso. Um livro esquecido ou emprestado pode mudar situações. Adorei a história, é muito parecida com a minha. Um livro enviado por uma pessoa especial está mudando minha maneira de ver e pensar sobre muitas coisas.
Parabéns!!!
Beijo com carinho.

Taddeu Vargas disse...

Olá Rejane, seja muito bem-vinda em sua primeira visita oficial ao blog! O livro é um ente interessante! Normalmente quando abrimos um livro colocamo-nos na situação do aluno que está prestes a absorver os ensinamentos do mestre. É um momento de muita expectativa. Mesmo os leitores mais experimentados têm essa sensação. Esse gesto de respeito com a entidade "livro" e uma dose natural de humildade cultural, formam o ambiente propício para o espetáculo do conhecimento. Se o livro for bom então....! Muito obrigado pela visita. Volte sempre! Abraçao.