03 março 2007

Destino


Será o destino algo irremediavelmente decretado como experiência de vida pela qual temos de passar? ou destino não existe? No mundo da ignorância espiritual somos moscas tontas procurando explicação na vida terrena para verdades divinas... tentando fazer relação direta do acontecido... com o desconhecido. Mas o destino poderia ser a consequência lógica de escolhas feitas no decorrer de nosso viver, de todas nossas vidas...do tipo: o que eu fizer agora, muda a programação futura sobre aquela questão!! Se for assim, nosso destino está em nossas mãos. Quer dizer: ser feliz, rico, amado, realizado, e muitos outros sonhos de consumo humanos depende apenas de nós! Seria assim tão bom e tão fácil? E os nossos relacionamentos amorosos? nosso destino era encontrar nosso atual companheiro, ou fomos nós que o escolhemos antes mesmo de conhecermos. Ou nossa alma gêmea está para chegar? Parece muito confuso, mas parece também que a resposta para todas estas questões reside na percepção que temos do que somos. Somos seres humanos apenas e nossa vida se resume ao intervalo do nascimento à morte? ou seríamos seres humanos, mas com uma experiência espiritual anterior e possivelmente uma próxima? ou ainda, seríamos seres espirituais, tendo uma experiência humana? ou várias experiências humanas em sequência!? uma espécie de aprendizado, aperfeiçoamento, lapidação, como diz uma de nossas religiões... Se for assim, faz sentido pensar em destino como resultado de escolhas anteriores e seu mecanismo um dinâmico e poderoso processador que a cada impulso recebido referente às decisões que tomamos em nossa vida diária, cria um cenário futuro, como resultado daquelas escolhas...Se realmente isso funciona desse modo, meus queridos leitores e leitoras desse humilde bloco de rascunhos eletrônico, prestem atenção em suas próximas ações, na frases que vão dizer agora, no tipo de sentimento que enviarão a uma outra pessoa, no que irão pensar hoje à noite, na hora de deitar e no que vão sentir amanhã, ao acordar. Seus futuros dependem disso.
taddeu vargas

Um comentário:

Nathy Carvalho disse...

Meu "destino" de um início de domingo foi chegar até aqui para deixar minha "pegada" dizendo apenas que o meu livre arbítrio me traz sempre por aqui onde encontro o que mais me encanta, meu grande vício: sentimentos em palavras!

Eis-me aqui perante meu "calcanhar de Aquiles": O DESTINO!
É meu ponto de partida e ao mesmo tempo meu ponto de chegada onde busco sempre explicação para tudo que tenho, que faço e que estou em busca...e agora, diante todas as reflexões que vc propõe me sinto inundada de uma vontade de estar diante de Deus e perguntá-lo:

"E então?! Como será o dia de domingo?! Estou seguindo os planos que para mim foram feitos nestes 21 anos e alguns dias?"

Confesso que se ele me afirmasse que realmente venho aqui para representar uma história já traçada, não iria me conter e pediria para ler a página dos 40 e poucos anos! Como eu estaria com o "dobro de mim"?

... e então deixo aqui minha "pegada"....talvez já prevista, mas espero que fique não só neste post, mas no entendimento que não foi apenas por acaso que aqui estive!

Com carinho,

Nathalya