29 janeiro 2011

A lição do pano de prato


As grandes lições, às vezes, não se aprendem no discurso do grande especialista, nem nos livros das bibliotecas das Universidades, mas na cozinha de casa! Hoje pela manhã, quando entrei na cozinha para pegar um café, vi um pano de prato estendido na janela basculante que dá para a área de serviço, com a seguinte frase, caprichosamente bordada sobre o pano: "Eu Sou é a luz de Deus em mim".

Nada demais! É uma frase muito utilizada pelos esotéricos e pelos seguidores dos diversos movimentos de espiritualistas da chamada Nova Era, fenômeno planetário religioso verificado a partir dos anos 80/90. Eu mesmo uso muito o decreto EU SOU acompanhado de alguma expressão que designe esta Presença (Deus) como fazendo parte do meu eu, em função de minha intimidade com as lições do Mestre Saint Germain.

Mas adorei ver a frase no pano de prato, local singelo, ligado às coisas mais simples do dia-a-dia, transformado em veículo de propagação das novas verdades, ou das verdades eternas, mas apenas há pouco tempo "liberadas".

Minha surpresa foi, examinando melhor o tal pano de prato, verificar que ele era muito antigo, depois confirmado pela minha mãe, que relatou ser aquela peça remanescente do enxoval por ela montado, quando casou com meu pai. Estamos falando da década de 50.

Eu me considero um ser em processo de evolução e crescimento espiritual, inserido nesse contexto de revitalização religiosa que a humanidade vem experimentando nas últimas décadas e como tal, sofro uma tendência a pensar como um privilegiado, dono das novas verdades e grande conhecedor dos mistérios da criação, pela leitura diária da farta literatura que embalou a espiritualidade nos últimos tempos e pela prática de rituais meditativos.

O pano de prato e sua frase mágica me devolveram a humildade necessária à sequência da minha evolução, colocado à minha frente para mostrar que a verdade é uma só, que tempo não existe e que o mecanismo de percepção do divino em nós, está à disposição desde que o homem deu o primeiro suspiro no planeta.

TaVar

14 comentários:

Sandra Botelho disse...

Na simplicidade dos detalhes. lições valiosas...Mas é necessario que os olhos sejam sensiveis para nota-las e o coração receptivo.
Bjos achocolatados e um lindo final de semana.

Dora Regina disse...

Nas coisas mais simples, verdadeiras lições porque só as coisas mais simples conseguem ser as mais intensas, as mais verdadeiras e as mais essenciais...
Um grande abraço!Bom fim de semana...
Obrigada pela lição!

Carla Farinazzi disse...

Olá Taddeu!

Muito bom o seu blog, muito bacanas os textos e as reflexões que você provoca. Gostei muito!

Beijos

Carla

Selena disse...

...não existem "meias verdades", as coisas são o que são e o tempo é algo relativo!

Lindo texto
Ps.: grata por sua visita e palavras Taddeu, seja sempre bem vindo e perdo-me pela ausência de "quase sempre" lá pelo meu blog...trabalho nos toma um tempo um tanto valioso.

Beijo em sua alma e bênçãos Universais sobre ti e os seus.

Selena disse...

...não existem "meias verdades", as coisas são o que são e o tempo é algo relativo!

Lindo texto
Ps.: grata por sua visita e palavras Taddeu, seja sempre bem vindo e perdo-me pela ausência de "quase sempre" lá pelo meu blog...trabalho nos toma um tempo um tanto valioso.

Beijo em sua alma e bênçãos Universais sobre ti e os seus.

o mar e a brisa do prazer de aprender disse...

Meu Deus pulei de alegria quando recebi sua visita no blog, obrigada!!!!!!!!!!! Amei o texto e posso garantir quem todos somos envolvidos por um elo de afeto que se chama ternura. A simplicidade é a chave para a paz interior. Desejo ótimos ventos para meu marujo das palavras . Bjs

Suzana Martins disse...

E a beleza dos detalhes na simplicidade do olhar!!

Beijos

Solange disse...

a vida nos surpreendendo... e tem sido sempre assim comigo, nos "detalhes" é que encontro respostas...

adorei.

beijo grande

Drika disse...

...é, se estamos atentos a vida, ela nos fala de diversas formas. As respostas estão aí... e os ensinamentos também.

Abraço no coração!

* verinha * disse...

Belíssimo texto Taddeu!.. Com certeza os grande ensinamentos encontram-se na simplicidade do cotidiano.. basta estarmos atentos e receptivos!

Um beijo em seu coração..
*verinha*

Malu disse...

As grandes lições da VIDA nos vem de forma mais simples e absoluta.
eu não conhecia o texto e achei belo!
Abraços

Dayse Sene disse...

Hoje deixei quatro selinhos para você em meu blog...assim encerro essa etapa de seleinhos por algum tempo...pois agora menos tempo para dedicar-me a eles.
Volto as aulas, e preciso deixar um pouco de sonhar, para estudar...cair na real(risos).
Mas lembre-se, você estará sempre em meu coração.
Se gostar dos quatro, pegue -os, se não pegue o que mais gostar e se não valeu a intenção em presentear quem sempre me prestigia e me oferece carinhos.
Vai ai o endereço...eles estão no final da folha.
Um lindo dia.
Paz em seu coração.
http://blog.daysesene.com/2011/01/selinhos-confeccionados-para-meus.html

Eliane Alcântara. disse...

Acompanho sempre em silêncio os seus textos.
O prazer de lê-los renova a força do existir e persistir.
Hoje deparo-me com mais uma pérola
que diz ao coração que a delicada
linha a que chamamos tempo é
somente uma semente que brota
todos os dias, igual, mas completamente diferente,
pois o aprendizado/crescimento
é realmente o que importa.
Parabéns pelo seu trabalho.

Marilza Braga dos Santos disse...

Teddy, estou descobrindo suas crônicas, estava lendo sobre a frase no pano de prato "EU SOU", essa frase se aplica a tantos nomes que DEUS usava ou davam a ele. E um dia ele falou no VT. EU SOU, era tambem o nome dele.Não há problema se voce não tem nome, o importante é voce ser voce.