16 abril 2011

No Meio da Vida


Hoje vamos falar da vida terrena. Mas como de costume, do meio pra frente, o texto viaja por outros mundos. Às vezes parece tudo a mesma coisa, mas isto é história pra outra crônica. O assunto desta é a data (16 de abril), que marca a metade da trajetória deste marujo, aqui nesta vivência terrestre.

Não sei quando foi, mas não faz muito tempo que descobri a data da minha partida deste mundo, ou que inventei, não importa. O importante é que está marcada. Depois da definição tudo ficou mais fácil.

O planejamento se viabiliza quando se tem um termo final. A partir dele, fica fácil estabelecer prioridades, agendar tarefas de início, meio e fim, enfim, desenhar as imagens que vão compor o caminho, como as paisagens, outdoors, personagens e demais componentes da estrada da vida, neste caso, da minha vida.

Engraçado, dirá você! - Você mesmo! Ou será que tem mais alguém aqui nesta parte do texto além de eu e você? - Sendo hoje dia de comemorar a vida, esteja eu falando de morte!

Bem, temos que recuperar alguns conceitos de posts anteriores para entender bem isso. Num deles tem uma frase que marca muito minha idéia sobre morte física: “A vida é o eterno alento, do qual a existência terrena é um evento!”

Do meu ponto de vista, os três dias mais importantes da minha vida (terrena) são: o dia da minha partida (o mais importante deles), o da chegada (nascimento) e o dia de hoje - o meio da minha vida! Nesta ordem!
O dia da chegada a gente escolhe antes de nascer, o da partida, podemos e devemos escolher durante o percurso. O meio da vida é uma escolha da matemática, uma simples operação aritmética.

Entendeu porque o dia da partida é o mais importante dos três? Ele é fruto do seu processo de entendimento da vida, que se faz no modo consciente, a bordo do corpo físico e da mente humana. É você quem decide, através de seus atos, pensamentos, sentimentos.

Sua evolução como ser espiritual, vestindo o ser físico que você é, aqui no planeta, determinará quando você vai partir.

A grande vantagem da meia idade é saber como terminar bem uma jornada da vida, ao contrário da primeira parte dela, que deixa a impressão de não sabermos bem como chegamos até aqui. Os jovens não lidam bem com essa idéia, pois entendem que a melhor é a que estão vivendo. Mas o Universo é compassivo e dará chance a grande parte deles, de mudar de opinião.

Amanhã será meu primeiro dia na segunda metade. Um renascer! No entanto, diferentemente do nascimento anterior, carrego agora todas minhas impressões da existência até aqui. É um banco de dados imenso depositados na memória, que serão utilizados, junto com as informações do Teddy (meu ser interior), na seqüência da minha existência aqui na terra.

TaVar

7 comentários:

Delicia ! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariza disse...

Parabéns Taddeu,
Que além dos aniversários você seja sempre muito feliz !
Que a sua Luz em forma de palavras continue Iluminando nossas vidas.
bjs
Mariza
(Meu post de hoje vai ser em homegaem aos aniversariantes de hoje, inclusive vc)

Grêmio Unido disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Taddeu Vargas disse...

Olá Mariza, seja muito bem-vinda! Muito obrigado pela felicitação. Vou lá no blog ver seu post. Beijo imenso.

Taddeu Vargas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Maria das Graças Monteiro disse...

Parabéns pelo texto e pelo blog! Magníficos! Voltarei! Abração.

Mariana disse...

Adorei.
Felicito por ter proporcionado uma ótima leitura.
a vida é preciosa.
Tenhas uma Pascoa abençoada.