04 junho 2011

O sequestro da Donzela


A escuridão da madrugada definia o layout da costa do atlântico, já próximo do continente. Deus, o barco e o marujo lutavam muito para convencer o mar a deixá-los navegar, nas ondas daquela vontade de encontrar a Donzela fugidia, que na laguna da vida se escondia, impedindo o amor de acontecer.

O amor e a saudade dela, a escamar o coração do homem do mar, foram mais fortes que o medo de enfrentar a distância, a noite, as ondas, que mais pareciam alçadas pelos inimigos da intenção do marujo. Mesmo assim, chegar até a praia parecia ser a parte mais fácil da viagem. taddeu vargas taddeu vargas taddeu vargas ddeu vargas taddeu vargas taddeu vargas
A mais difícil seria convencer o senhor dos sonhos a adaptar o enredo, para depois transformá-lo em realidade. Nele, a Donzela esquiva, com medo de amar, lutaria contra seus medos antes de embarcar com o marujo e singrar os mares nem sempre calmos de uma relação de quatro olhos, dois corações...e apenas uma cama!

No devaneio, o marujo já se via navegando de volta com a Donzela...o barco e Deus. Sentado na proa da nau ele buscava entender se realmente tinha dobrado o destino, e enganado a insistente ausência da mulher amada, ou se aquilo era mesmo um sonho.


Hoje ouço a bela baiana cantar "que essa tempestade um dia vai acabar" e lembro da noite que gostaria de ver a tempestade me acordar e ver ao meu lado, no barco que embala meus sonhos, o meu amor, a me olhar .



Taddeu Vargas



4 comentários:

Yoyo disse...

Lindo demais!!!

Marli Borges disse...

Ah, o mundo dos sonhos! Esse infinito de possibilidades que só tem contraponto na saudade!

Lindo demais!

Bjsssssss

Insana disse...

Estava com saudades de suas palavras, meus dias sem ter o que dizer me tirou ate gosto por ler. mais volto e aos poucos recupero o que perdir..

deu vontade de ser uma donzela


bjs
Insana

Denise disse...

Alguns textos, como este, precisam ser lidos, relidos e, uma vez refletidos, contextos e fatos repensados - trazidos para a realidade, e nela, fixados.

É uma delícia repensar a vida, entende-la melhor, conhecer-se a fundo ao permitir um passeio, sem medo, por nossos mares profundos.

As águas já foram caminho divino, ficando claro que podem ser transpostas. E a travessia, que depende do navegador, da nau e de Deus - é a maneira de poder construir, no sólido chão, o refúgio da Donzela, a morada desse amor tão bonito, e esplendidamente, por vc descrito.

Beijo no Marujo sonhador.