14 junho 2007

Bom mesmo seria ser melancia... Ou não!


“(...) a cidade que eu não conheço,que você não conhece,são as ruas que nós não atravessamos, são os outros caminhos possíveis.” (Jorge L. Borges)
Ao usarmos a língua, agimos sobre os outros, uma ação dupla entre produtor e receptor, ou seja, sempre que dizemos algo (escrevendo, falando) a seqüência lingüística implicará no conteúdo proposicional, na força ilocucionária e terá efeitos perlocucionários. Entendido? Não??? Trocando em “miúdos”, exemplificando...
Se você em determinada situação, fosse comparada a uma “melancia” (Citrullus lanatus), fruta rasteira, originária da África, de forma arredondada ou alongada, de polpa vermelha, suculenta e doce, com alto teor de água, casca verde e lustrosa, com estrias de verde escuro e muitos sais minerais. Pensarias como? O que significa ser comparado a uma Citrullus lanatus?Algo, no mínimo, sujeita a muitas interpretações.
Bom, sendo eu o receptor dessa “história” o “efeito perlocucionário” é mais ou menos este: João, João... (poderia ser Antônio, Pedro ou José).
Meu universo é repleto de nuances, o das melancias, sementes! Diferentes? Nunca se pode saber o que há dentro de uma melancia, ou seja, seu universo! Sei tanto do universo das melancias, como da anatomia de um elefante, nada!
Qual a paixão de uma melancia?Sei de minhas paixões. Nutro uma estranha paixão por camisetas velhas, pés descalços, horta e tatuagem no pé. Mas há uma”polpa” em algum lugar em mim que usa caros perfumes,sedas e brilho no olhar,quando se traveste em sedução.Uma Balzaquiana. Mas o bom mesmo seria ser melancia!
Fugir do trivial: moda, dieta, beleza, relacionamentos, pior ainda discutir relação!
Na prática não sou melancia. Ora se a fosse!Precisaria apenas ser doce, carnuda e ter sementes. Sugiro então o “02 Neurônio:Almanaque para garotas calientes”(Jô,Nina e Raq) e a trilha sonora “It´s a man´s,man´s,man´s World (Mr James Brown), facilitará e muito entender.
João, José, Antônio...Como mulher, ou seja, lá o que for como for, ou para que for, quero ser única em mim mesma, nem melhor ou igual a nada, apenas “eu” em minha essência e roupagem provisória de mulher; ser caminho e não chegada, ser “semente” ou seria, “somente”? No eco, se pode ter noção do que há dentro de uma melancia...João!João! Poderia ser José!
“A mulher que não conhecemos são as ruas não atravessadas, são os outros caminhos possíveis”.
taddeu vargas
Maura Masri
taddeu vargas
A Maura...que, pra maruja, só falta o "j", e um ligeiro arranjo nas letras, ou não!! é uma pessoa, ou melhor, uma mulher que acontece poucas vezes na vida da gente, normalmente nenhuma! Mas quando acontece, ocupa um espaço tal que, quando vai embora ...nunca mais conseguimos preenchê-lo. Acolher suas lindas e intrigantes palavras neste humilde espaço de mil blogbagens, além de enobrecer o blog do marujo, enche esse ambiente virtual de uma fragrância pura ...de um perfume raro ...que só os seres construídos por Deus em dias especiais exalam.
M Taddeu Vargas
taddeu vargas

6 comentários:

mirene disse...

Lindo seria ser melancia!adorei seu texto!

mirene disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mirene disse...

AMEI.......

Maura disse...

...tens,entre muitas,uma qualidade para a qual não quero saber o defeito,que me encanta! Sempre consegue me surpreender!

Eu,lua.
Vc,mar.
Vivi na escuridão dos dias enquanto a paz a mim regressava.
Reencontro a luz das tuas águas escuras que me embalam na noite.
Tu és a continuidade do meu ser.
O fogo frio de um corpo em chamas revolto. Enrolado em nós.
Enrolado em ondas de paixão, desejo, suor e amor.
Eu, Lua.
Tu, Mar.
E buscamos juntos a perfeição de um amor que de tão perfeito jamais o será.
Jogamos cartas numa mesa redonda. E em cada canto um destino.
Em cada figura uma vontade.
Olvidando passado e presente. Na procura de um futuro nosso.
Prendeste o meu brilho na tua vaga.
Encostei o rosto na tua espuma.
Não te toco, mas olho-te.
E quando não te vejo, sinto-te.
Em mim. Vestida de ti e de amores partilhados.
De encontros desencontrados.
E com lábios doces de amargos amanheceres, beijo o teu leito de segredos profundos.
E despeço-me.
Tu és a luz que reflicto.
Sem ti, ela não existiria.
Mar. Meu Mar.

mirene disse...

Cecília Meireles

De um lado cantava o sol

De um lado cantava o sol,
do outro, suspirava a lua.
No meio, brilhava a tua
face de ouro, girassol!

Ó montanha da saudade
a que por acaso vim:
outrora, foste um jardim,
e és, agora, eternidade!
De longe, recordo a cor
da grande manhã perdida.
Morrem nos mares da vida
todos os rios do amor?

Ai! celebro-te em meu peito,
em meu coração de sal,
Ó flor sobrenatural,
grande girassol perfeito!

Acabou-se-me o jardim!
Só me resta, do passado,
este relógio dourado
que ainda esperava por mim . . .

mirene disse...

MUITO LINDO...EU TE AMO!!!!!!!!!