02 novembro 2011

Dia dos mortos

O dia amanheceu iluminado, pela ausência de nuvens, desenhando um cenário com perfil diferente de um dia de finados, que aprendemos a respeitar na infância, como sendo o dia consagrado aos mortos e por isso mesmo meio sombrio.

É feriado. A sociedade para e homenageia os que, segundo se diz, morreram. Não que o fato de ter-me tornado adulto tenha feito perder o respeito pela data, mas é certo que não acredito mais em morte. E acho que essa consciência aflorou a partir do momento que meu conceito de "vida" sofreu profunda alteração.

Não sei precisar quando, mas comecei a perceber a vida como sendo uma consequência da Luz, e Luz não morre. A vida está ligada à nossa essência, que é Luz. Pelo que podemos observar no Universo, e pelo que sinto no silêncio, essa energia sempre foi, é, e sempre será.

O corpo físico que neste dia reverenciamos, jaz no rol das ilusões ...das inexistências. É temporário, incerto e descartável. Já, seu eventual companheiro, o imortal e iluminado espírito, que é o nosso eu, de Luz, permanece e atravessa o que denominamos "tempo" sem "envelhecer", voltando a viver, no conceito humano, dentro de algum tempo, num outro corpo, construído com o mesmo material que um dia será novamente descartado, para livrar o espírito, mais uma vez, para outras viagens...e assim por diante.

Mas como tudo na vida, por um lado o dia de finados tem lógica: é apenas um, sobrando todos os demais dias do ano para reverenciarmos a vida, a LUZ.


Taddeu Vargas

3 comentários:

Reflexo d'Alma disse...

Otima reflexão,
Posso postar domingo no meu blog Espelhando e Espalhando Amigos?
Bjins entre reflexões
sonhos e delírios

Taddeu Vargas disse...

Olá Reflexo! Pode postar, muito obrigado pela participação. Abraço forte.

Gaijin Virtual disse...

Mortos são os que aqui permanecem, mergulhados na carne, na mais completa inconsciência de seus propósitos nesta Vida; são os que buscam não saber de onde vieram, nem para onde irão...

A "passagem" apenas há de nos revelar aquele ser que sempre permitimos existir em nossa intimidade.

Enquanto isso, o Cristo, o Logos Solar, em nossas consciências continua nos convidando: "Segue-me e deixa aos mortos o cuidado de enterrar os seus mortos".

________________

Taddeu, adorei seu blog!

Ele nos passa uma leveza ímpar. Além disso, entrar aqui é muito inspirador...

Um grande abraço!

Haja Luz!

P.s: antes que me esqueça, existe um texto excelente do guia Emmanuel, intitulado "Acorda e Ajuda" que nos alerta sobre esta questão do indivíduo "viver morto"... Leitura mais que recomendada!
_